sicnot

Perfil

Economia

Concorrência espanhola pede eliminação de restrições a veículos de aluguer com condutor

A autoridade da concorrência espanhola requereu ao Governo de Espanha que elimine da lei restrições ao transporte de passageiros em veículos de aluguer com condutor, como os utilizados pela aplicação informática Uber, sob pena de recorrer aos tribunais.

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

© Andrea Comas / Reuters

Num comunicado enviado à imprensa, a Comissão Nacional Mercados e Concorrência (CNMC), correspondente à autoridade da Concorrência portuguesa, informou que enviou ao Conselho de Ministros, a 14 de janeiro, um requerimento que pede a anulação de vários artigos de um decreto-lei aprovado pelo ministério responsável pelos transportes em Espanha, considerando que "incluem numerosas restrições à concorrência".

A CNMC considera que a lei "limita a entrada e a capacidade de concorrência dos veículos de aluguer com condutor (VTC)", como os da Uber, "reduz a concorrência no mercado de transporte urbano de passageiros e protege o regime de monopólio dos serviços de táxi, travando a inovação no setor".

Segundo o comunicado, o decreto-lei "limita substancialmente a entrada no mercado de transportes urbanos de passageiros" de veículos de aluguer com condutor, já que permite à administração pública negar autorizações de operação aos VTC segundo o seu critério ou de forma automática "quando exista mais de uma autorização de VTC por cada trinta licenças de táxi".

"Impede que os táxis e os VTC compitam entre si e que os consumidores possam beneficiar de uma maior disponibilidade de veículos, um menor tempo de espera e uma maior competição em preços, qualidade e inovação", esclareceu.

Entre os principais obstáculos à concorrência, a autoridade destaca ainda que deveriam ser eliminados os artigos que estabelecem a obrigação prévia de contratar os serviços de VTC, proibindo que circulem com passageiros sem um contrato de aluguer e impedindo que possam oferecer os seus serviços circulando nas vias públicas em busca de clientes, tal como os táxis, além de outros requisitos de carácter técnico.

"Todas estas restrições são contrárias aos princípios de regulação económica eficiente" estabelecidos na lei espanhola, "de garantia da unidade do mercado, carecem de justificação económica, criam obstáculos à concorrência efetiva no transporte urbano de passageiros em todo o território nacional", além de serem "especialmente gravosos no atual momento de rápida inovação no setor, que seria travada" por esta norma, acrescentou.

Caso o Governo não aceite o requerimento, a CNMC "impugnará nos tribunais este Decreto, para conseguir que estas restrições possam ser eliminadas do marco normativo e aumentar o bem-estar geral", alertam.

Lusa

  • Proteção Civil passa a ter Secretaria de Estado
    1:13

    País

    O Governo criou uma nova Secretaria de Estado da Proteção Civil, que vai ser liderada por José Artur Tavares Neves. Esta é a principal novidade da remodelação governamental que envolve quatro Secretários de Estado, dois deles foram reconduzidos nos cargos.

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC