sicnot

Perfil

Economia

Juncker lembra que existem regras que têm de ser cumpridas por todos os países

Juncker lembra que existem regras que têm de ser cumpridas por todos os países

O presidente da Comissão Europeia lembra que existem regras que têm de ser cumpridas por todos os países membros da união. Jean Claude Juncker justifica assim a pressão de Bruxelas junto do governo português por causa do esboço do Orçamento do Estado para este ano e rejeita que Bruxelas queira apenas impôr uma política de austeridade estúpida. É a resposta às críticas do eurodeputado comunista João Ferreira, que acusou a Comissão de estar a fazer uma chantagem inqualificável para condicionar o governo português.

  • Esquerda fala num orçamento credível, a direita tem dúvidas
    2:02

    Orçamento do Estado 2016

    Na derradeira semana para apresentar o Orçamento do Estado, o ministro das Finanças passou a manhã em reuniões com os partidos. À medida que iam acabando, os deputados dos vários grupos parlamentares foram revelando algumas das garantias deixadas por Mário Centeno. Os partidos da esquerda falam num Orçamento credível, que não agrava medidas sobre pensões e salários. A direita tem dúvidas e o deputado do PAN diz que o Governo garantiu que vai tomar medidas que permitam alcançar o número exigido por Bruxelas para o défice.

  • Juncker lembra que existem regras que têm de ser cumpridas por todos os países
    1:41

    Economia

    O presidente da Comissão Europeia lembra que existem regras que têm de ser cumpridas por todos os países membros da união. Jean Claude Juncker justifica assim a pressão de Bruxelas junto do governo português por causa do esboço do Orçamento do Estado para este ano e rejeita que Bruxelas queira apenas impôr uma política de austeridade estúpida. É a resposta às críticas do eurodeputado comunista João Ferreira, que acusou a Comissão de estar a fazer uma chantagem inqualificável para condicionar o governo português.

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Grupo de brasileiros em assalto milionário no Paraguai
    1:24