sicnot

Perfil

Economia

Obama apresenta proposta de Orçamento para 2017

O presidente dos Estados Unidos apresentou hoje a proposta de Orçamento para 2017, no valor de quatro biliões de dólares (3,58 biliões de euros), apostando na luta contra as alterações climáticas e o terrorismo e no investimento em infraestruturas.

© Kevin Lamarque / Reuters

Na sua última proposta antes de abandonar a Casa Branca, em janeiro do ano que vem, Barack Obama esboça um panorama económico de crescimento sólido, que situa em 2,6 por cento este ano e em 2017, e com um défice orçamental que deverá cair abaixo de 2,5 por cento entre agora e 2026.

"O plano reduz o défice e mantém a evolução fiscal através de poupanças inteligentes no sistema de saúde, imigração e impostos", refere Obama no documento da proposta orçamental.

O orçamento "é um roteiro para um futuro que encarna os valores e aspirações dos Estados Unidos: um futuro de oportunidade e segurança para as nossas famílias; um melhor nível de vida; e um planeta sustentável e em paz para os nossos filhos", referiu Obama.

Entre as novidades está um adicional de 19 mil milhões de dólares para reforçar a cibersegurança, cerca de 35 por cento a mais do que o previsto no ano anterior.

Também avança um imposto de dez dólares por barril de petróleo, que permitirá a entrada de 320 mil milhões de dólares em 10 anos, para financiar projetos de energias limpas e investimento em infraestruturas.

Por outro lado, o orçamento de defesa para o Pentágono será aumentado em um por cento, ate aos 582,7 mil milhões de dólares, número que os republicanos consideram escasso para ameaças como a ascensão do grupo extremista Estado Islâmico, a continuada presença de tropas no Afeganistão e a necessária modernização de equipamentos perante tensões com a Rússia e a China.

Especificamente, o financiamento para a luta contra o Estado Islâmico sobe dos 3,5 mil milhões de dólares atuais para 4,1 mil milhões no próximo ano fiscal.

O ano fiscal de 2017 nos Estados Unidos começa a 1 de outubro deste ano.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.