sicnot

Perfil

Economia

Jornal britânico The Independent deixa edição de papel e aposta no digital

O jornal britânico The Independent decidiu acabar com a sua edição em papel, transformando-se a partir de 26 de março num título exclusivamente digital, divulgou hoje o proprietário da publicação.

A página online do jornal, com cerca de 70 milhões de visitantes únicos por mês, já é rentável e antevê um aumento de receitas de cerca de 50% para o ano corrente.

A página online do jornal, com cerca de 70 milhões de visitantes únicos por mês, já é rentável e antevê um aumento de receitas de cerca de 50% para o ano corrente.

© Neil Hall / Reuters

Esta aposta surge na sequência de um decréscimo contínuo das vendas do título. "A indústria dos jornais está a mudar e essa mudança foi iniciada pelos leitores. Eles mostram que o futuro é o digital", afirmou Evgeny Lebedev, o proprietário do jornal, um britânico de origem russa, num comunicado.

"Fomos confrontados com uma escolha: gerir o declínio contínuo do papel ou transformar a base digital que construímos num futuro rentável e sustentável", indicou o responsável, numa carta dirigida aos funcionários, salientando que o The Independent será "o primeiro de muitos títulos importantes que vai mudar para um futuro 100% digital".

A família Lebedev comprou o título britânico em 2010.

Com cerca de 60 mil exemplares vendidos por dia, incluindo 40 mil assinantes, o The Independent, criado em 1986, é o diário nacional com menos vendas no Reino Unido, atrás dos tabloides The Sun ou Daily Mail e de outros jornais como o The Times, Guardian ou Daily Telegraph.

No seu melhor ano, 1989, a circulação paga do The Independent chegou a ultrapassar os 420 mil exemplares.

"Esta decisão permite salvar a marca e permite-nos continuar a investir em conteúdos de alta qualidade editorial que atraem cada vez mais leitores nas plataformas online", referiu Lebedev, líder do grupo ESI Media, que também detém o diário de distribuição gratuita The Evening Standard e o canal de televisão London Live.

O grupo ESI Media também confirmou a venda, sujeita à aprovação dos acionistas, do título "i", uma versão mais leve do diário The Independent.

O título será vendido ao grupo Johnston Press, que também deverá acolher "um número significativo de trabalhadores" do jornal The Independent.

A venda deverá envolver um montante de 25 milhões de libras (cerca de 32 milhões de euros), segundo noticiaram os 'media' britânicos.

"Vão existir algumas demissões entre a equipa editorial", admitiu o grupo ESI Media. Cerca de 150 pessoas trabalhavam para o The Independent.

Atualmente, a página online do jornal, com cerca de 70 milhões de visitantes únicos por mês, já é rentável e antevê um aumento de receitas de cerca de 50% para o ano corrente.

Lusa

  • Bernardo Silva no City? O que Pep Guardiola disse ao português na Champions
    0:34
  • A promessa e a peregrinação do Presidente no Luxemburgo
    2:28
  • "O Brasil não parou e não vai parar"
    1:33

    Mundo

    O Presidente do Brasil diz ter condições para continuar à frente do Palácio do Planalto. Num vídeo publicado no Twitter, Michel Temer garante que o país não parou, nem vai parar, mas há uma nova gravação que pode comprometer o futuro do chefe de Estado.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57