sicnot

Perfil

Economia

Agricultores gregos mantêm protestos contra Governo em Atenas

Milhares de gregos voltaram a manifestar-se hoje frente ao Parlamento de Atenas contra o novo projeto de reforma de pensões e aumento de impostos que atinge os agricultores.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

A concentração de hoje foi organizada pela Frente de Luta dos Trabalhadores (Pame), próxima dos sindicatos comunistas e dos agricultores, que começaram a manifestar-se na sexta-feira na Praça da Constituição, em Atenas.

De acordo com as autoridades policiais, cerca de 12 mil pessoas demonstraram hoje solidariedade para com os agricultores que vieram de todo o país e que já se concentraram no final da semana frente ao Parlamento grego, na capital.

O cortejo dos agricultores, que utilizou mais de vinte tratores durante a manifestação, bloqueou uma autoestrada de acesso à capital grega e concentrou-se depois frente ao edifício do Ministério da Agricultura, tendo os manifestantes acampado no centro de Atenas, onde pernoitaram.

A federação sindical dos funcionários públicos (Adedy) também se juntou à manifestação dos agricultores opondo-se ao projeto de lei do Governo de esquerda de Alexis Tsipras, o qual prevê equiparar o sistema de quotização aos assalariados do setor agrícola, o que implica aumentar os pagamentos em sete por cento sobre uma base de 26,95 por cento.

Apesar de se tratar de um aumento considerado drástico pelos sindicatos, o executivo insiste que o projeto-lei faz parte dos planos gerais de unificação da segurança social e que, por isso, os agricultores não têm motivos para se queixarem pois vão aumentar o valor das pensões, no futuro.

O plano governamental contempla uma pensão estatal que garante 384 euros mensais para todos os que descontaram durante um período mínimo de 15 anos, enquanto a caixa de pensões dos agricultores garantia, até ao momento, 168 euros por mês.

Os agricultores que beneficiavam também até ao momento de isenções fiscais intensificaram os protestos nas últimas três semanas tendo bloqueado as estradas de acesso aos postos fronteiriços no norte do país.

As medidas que vão ser apresentadas pelo Governo de Tsipras sobre o setor são apoiadas pela 'troika' de credores, formada pela União Europeia, Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europeu.

Segundo as últimas informações, não se registaram incidentes durante as manifestações.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Quer conhecer os cães mais feios do mundo?
    1:15

    Mundo

    Na Califórnia, nos Estados Unidos, já foi eleito o cão mais feio do mundo de 2017, num concurso que se repete há 29 anos. Com 57 quilos, Martha recebeu a distinção enquanto ressonava no palco.