sicnot

Perfil

Economia

Ministro da Economia visita hoje maior feira de calçado do mundo em Milão

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, vai estar hoje presente na MICAM, a maior feira de calçado do mundo, que se realiza em Milão, Itália, e que conta com 95 empresas portuguesas participantes, algumas na MIPEL (feira de acessórios).

PAULO NOVAIS

"A presença na MICAM e MIPEL insere-se na estratégia promocional definida pela APICCAPS [Associação representativa das empresas de calçado portuguesas] e AICEP, com o apoio do Programa Compete 2020, e que visa consolidar a posição relativa do calçado português nos mercados externos", lê-se numa nota do Ministério da Economia.

A acompanhar o Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, vão estar João Vasconcelos, secretário de Estado da Indústria, e Jorge Costa Oliveira, secretário de Estado da Internacionalização, segundo a informação disponibilizada.

Esta edição da MICAM vai contar com a maior comitiva portuguesa de sempre, com 95 empresas portuguesas que são responsáveis por 500 milhões de euros em exportações.

A MICAM decorre entre os dias 14 e 17 de fevereiro e contará com a presença de mais de 1.600 expositores, de cerca de 50 países, e mais de 40 mil visitantes profissionais.

Durante este ano, o setor do calçado português vai participar em 10 certames profissionais fora do país, em destinos como Bogotá, Dusseldorf, Las Vegas, Paris e Milão.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.