sicnot

Perfil

Economia

Vítor Constâncio ganhou cerca de 331 mil euros como vice-presidente do BCE em 2015

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, ganhou 385.860 euros em 2015, 1,64% mais do que no ano anterior, indicou a instituição no seu relatório anual publicado hoje.

2010 - O Parlamento Europeu aprova a nomeação de Vítor Constâncio para vice-presidente do Banco Central Europeu

2010 - O Parlamento Europeu aprova a nomeação de Vítor Constâncio para vice-presidente do Banco Central Europeu

© Fabrizio Bensch / Reuters

A remuneração base de Vítor Constâncio, vice-presidente do BCE, foi de 330.744 euros, também um aumento de 1,64% em relação a 2014, precisou o BCE.

No total, a remuneração base do conselho executivo do BCE foi de 1.819.020 euros em 2015, quando tinha sido de 1.776.789 euros em 2014.

O BCE tinha no final do ano passado 2.871 funcionários, mais 294 do que um ano antes.

Em 2015, o lucro líquido do BCE subiu para 1.082 milhões de euros, mais 9,4% em relação a 2014 e o balanço do banco central foi de 257 mil milhões de euros, uma subida de 38,9%.

Os ganhos em operações financeiras ascenderam no ano passado a 214 milhões de euros (57 milhões em 2014).

O conselho de governadores decidiu no final de janeiro distribuir parte dos lucros pelos bancos centrais da zona euro e na sexta-feira decidirá atribuir os lucros restantes, no valor de 270 milhões de euros.

Lusa

  • A Verdade sobre a Mentira
    35:13
  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • Mais de 120 pessoas com hepatite A
    2:23

    País

    O surto de hepatite A já infetou 128 pessoas, 60 das quais estão internadas em hospitais de Lisboa e Coimbra. A Direção-Geral da saúde recomenda a vacinação apenas aos familiares dos doentes. Apesar de não haver ruptura de stocks, há farmácias que não têm vacinas.

  • Sobreviventes de Mossul relatam mutilações e execuções do Daesh
    1:32