sicnot

Perfil

Economia

Problema no airbag obriga à revisão de 1,9 milhões de veículos Mazda

O fabricante automóvel japonês Mazda Motor anunciou hoje a chamada a revisão de 1,9 milhões de automóveis em todo o mundo, dos quais 210 mil no Japão, devido aos airbags defeituosos produzidos pela empresa nipónica Takata.

Um dos modelos afetados é o Mazda 6, conhecido no Japão e em outros países asiáticos como Atenza

Um dos modelos afetados é o Mazda 6, conhecido no Japão e em outros países asiáticos como Atenza

© Toru Hanai / Reuters

Os seis modelos afetados forma fabricados entre 2006 e 2014, e entre eles figura o Mazda 6 (conhecido no Japão e em outros países asiáticos como Atenza), o camião comercial Titan e o utilitário Bongo.

Esta nova chamada à revisão soma-se aos milhões de viaturas que foram obrigados a voltar às oficinas em todo o mundo devido a uma falha técnica detetada nos airbags da Takata, um problema que, aliás, levou as autoridades a impor à empresa uma multa milionária.

Além da Mazda, outros fabricantes como a Toyota, Nissan, Mitsubishi, Subaru, Honda, Ford, o Grupo Chrysler ou BMW, anunciaram chamadas à revisão dos seus veículos devido a esse defeito.

As falhas nos infladores (o encapsulado metálico em que se aloja o 'airbag') fazem com que o dispositivo de segurança se possa abrir com demasiada força ao ponto de projetar fragmentos.

Este defeito foi relacionado com a morte de pelo menos oito pessoas nos Estados Unidos e na Malásia.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.