sicnot

Perfil

Economia

Cameron anuncia referendo sobre UE para 23 de junho

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou hoje que o referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia (UE) será realizado a 23 de junho deste ano.

Líderes da UE procuram hoje acordo na cimeira do "ou vai ou racha" sobre Reino Unido

Líderes da UE procuram hoje acordo na cimeira do "ou vai ou racha" sobre Reino Unido

© POOL New / Reuters

A consulta pública irá decorrer numa quinta-feira.

Depois de apresentar à sua equipa governamental o acordo alcançado na sexta-feira à noite em Bruxelas com os parceiros comunitários, Cameron confirmou que a posição oficial do Governo britânico será defender a continuidade do país numa "Europa reformada".

Numa breve declaração em frente ao número 10 de Downing Street (residência oficial e gabinete do primeiro-ministro britânico), Cameron qualificou o referendo de junho como "uma das maiores decisões" que o país e o povo britânico terão de enfrentar.

Depois de uma reunião de duas horas com o seu executivo, o primeiro-ministro britânico argumentou que o Reino Unido ficará "mais seguro, mais forte e mais próspero no seio de uma União Europeia reformada", acrescentando que as concessões negociadas na sexta-feira com os outros líderes comunitários dão ao país "o melhor dos dois mundos".

"A escolha incide em que tipo de país que queremos ser", afirmou Cameron, alertando que os defensores de uma saída britânica da UE, conhecida como 'Brexit', estão a oferecer "um risco num momento de incerteza, um salto no escuro".

"Deixar a Europa iria ameaçar a nossa economia e a nossa segurança nacional", reforçou.

A data do referendo ainda tem de ser formalizada pelo parlamento britânico, onde David Cameron irá intervir na segunda-feira.

Segundo uma sondagem publicada na sexta-feira, a opção de abandonar a UE venceria num referendo no Reino Unido por dois pontos percentuais a opção de permanência no bloco comunitário.

A sondagem da empresa TNS indicou que 36% dos britânicos votariam por abandonar a UE, enquanto 34% votariam a favor de permanecer no bloco europeu. Os mesmos dados revelaram que 23% dos inquiridos estavam indecisos e que 7% asseguraram que não iriam participar na consulta.

Lusa

  • Reino Unido na UE com garantias de estatuto especial
    2:37

    Mundo

    O Reino Unido chegou a acordo com Bruxelas quanto à sua permanência na União Europeia e consegue garantias de estatuto especial. Entre as cedências dos 27 países, está a questão da assistência social para os imigrantes europeus que na Grã-Bretanha. A partir de 2020, só passam a ter direito a receber apoio social após quatro anos de trabalho no país.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.