sicnot

Perfil

Economia

Total de empréstimos a famílias e empresas diminuíram em janeiro

Os empréstimos concedidos pelos bancos aos particulares e às empresas caíram 2,8% em janeiro, comparando com o mesmo mês de 2015, segundo os dados do Banco de Portugal.

© Dado Ruvic / Reuters

Em janeiro deste ano, o total de 'stock' emprestado às empresas fixou-se em 83.505 milhões de euros, o que significa menos 3,2% face ao mesmo mês de 2015.

Já o 'stock' de empréstimos aos particulares era maior, de 129.211 milhões de euros, mas também representando uma queda face a janeiro de 2015, neste caso de 2,56%.

Dentro do crédito aos particulares insere-se o crédito às famílias, que representa a maior parte, sendo que o valor total diminuiu 2,59% em janeiro em termos homólogos para 103.688 milhões de euros.

Desagregando o crédito às famílias, o crédito para compra de habitação totalizava em janeiro 103.688 milhões de euros, menos 2,7% do que um ano antes.

Os bancos têm justificado esta queda com o facto de muitos empréstimos estarem a ser pagos antecipadamente, diminuindo o 'stock' total do dinheiro emprestado, e afirmando que há mesmo um aumento de novas operações. Em dezembro de 2015, de acordo também com dados do Banco de Portugal, foram concedidos 469 milhões de euros em novo crédito à habitação, representando o valor mais alto desde maio de 2011.

Já o crédito para consumo e outros fins caiu 2,08% face a janeiro de 2015, para 23.398 milhões de euros.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.