sicnot

Perfil

Economia

Companhia aérea canadiana contrata assistentes de bordo que falem português

A companhia aérea canadiana WestJet está a contratar assistentes de bordo que falem o português como segunda língua, disse hoje à agência Lusa uma fonte da operadora.

© Todd Korol / Reuters

"O português é uma das nove línguas que esperamos contratar para as nossas aeronaves, na sequência da renovação da nossa frota. Alguns desses países podem no futuro serem servidos pela companhia", disse Robert Palmer, diretor de comunicação da WestJet.

Além de assistentes de bordo que tenham como segunda língua o português, a companhia, com sede em Calgary, na província de Alberta, está à procura de candidatos que também falem francês, espanhol, alemão, italiano, holandês, cantonês, mandarim e japonês.

O responsável reconhece que alguns desses países podem no futuro virem a ser servidos pela WestJet, daí que faça sentido "iniciar-se proativamente" a procura de assistentes de bordo, pilotos, e outros membros da tripulação, que possam falar uma dessas línguas.

A WestJet tem mais de 140 aeronaves, adquiriu recentemente quatro Boeing's 767-300, estando três deles em serviço, com outro a entrar em funcionamento em maio, o que lhe dá "a capacidade de chegar a outros destinos globais", estando sempre a analisar "novas oportunidades" para os clientes.

Em 2015 a companhia aérea canadiana realizou mais de 200 mil voos, transportando mais de 20 milhões de passageiros, em mais de 100 destinos no Canadá, Estados Unidos, México, América Central, Caraíbas e Europa (Escócia, Inglaterra e Irlanda). A WestJet tem cerca de 12 mil empregados.

Lusa

  • Debate quinzenal com o primeiro-ministro

    País

    A situação económica e financeira foi o tema escolhido pelo Governo, mas a polémica da descida da Taxa Social Única dominará certamente a discussão na Assembleia da República. Veja aqui em direto e participe no Minuto a Minuto Parlamento Global/SIC.

    Direto

  • MIT quer humanos a ajudar máquinas a decidir (quem morre)

    Mundo

    A "Máquina Moral" é uma plataforma online que recolhe a perspetiva humana em decisões que terão de ser tomadas por uma máquina. Por exemplo, quando um carro sem condutor se depara com o dilema do mal menor: em quem acertar - para evitar outros - num acidente de viação.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.