sicnot

Perfil

Economia

Bruxelas alerta Portugal para desequilíbrios macroeconómicos excessivos

A Comissão Europeia alerta que Portugal continua a ter desequilíbrios macroeconómicos excessivos, mas mantém o país fora do cenário de sanções. O elevado nível da dívida pública e privada e a elevada percentagem de crédito malparado são apontadas como grandes vulnerabilidades num contexto de desemprego também elevado.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

A decisão de Bruxelas de manter o país na categoria dos desequilíbrios macroeconómicos excessivos foi tomada hoje. Numa escala de 1 a 4, Portugal está no nível 3, conseguindo assim evitar um agravamento do procedimento, que poderia implicar sanções.

A Comissão reconhece que o país tomou medidas para resolver problemas no sector financeiro, no acesso ao financiamento e no mercado de trabalho, mas adianta que há ainda falhas a corrigir, nomeadamente nas questões orçamentais, e em algumas áreas do mercado laboral.

  • Comissário europeu reafirma "confiança" na capacidade do Governo
    2:51

    Orçamento do Estado 2016

    António costa não acredita que Portugal terá de adotar medidas adicionais para cumprir o Orçamento do Estado. Ontem à noite, em Bruxelas, o primeiro-ministro disse estar confiante no caminho traçado pelo Governo. As declarações do chefe do Executivo aconteceram depois de o comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, ter afirmado que as medidas adicionais que Portugal ficou de preparar são mesmo para ser implementadas. O assunto gerou alguma confusão em Bruxelas e Moscovici veio hoje "clarificar" as declarações, reafirmando "confiança" na capacidade do Governo.

  • CDS quer que o Governo revele Plano B
    0:47

    Economia

    Esta manhã, no Parlamento, o deputado João Almeida exigiu ao Governo que revele as medidas adicionais que estão a ser preparadas. O CDS pediu, também, esclarecimentos aos partidos de esquerda que apoiam o executivo de António Costa.

  • António Costa diz que não tem motivos para apresentar medidas adicionais
    1:22

    Economia

    Em Bruxelas, o primeiro-ministro garante que não tem motivos para ter que apresentar medidas adicionais. Esta noite, António Costa disse que o Governo não vai alterar o Orçamento porque nada indica que Portugal venha a falhar as metas assumidas. Sobre as recomendações da Comissão, o primeiro-ministro disse que não partilha a mesma análise.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.