sicnot

Perfil

Economia

Bruxelas alerta Portugal para desequilíbrios macroeconómicos excessivos

A Comissão Europeia alerta que Portugal continua a ter desequilíbrios macroeconómicos excessivos, mas mantém o país fora do cenário de sanções. O elevado nível da dívida pública e privada e a elevada percentagem de crédito malparado são apontadas como grandes vulnerabilidades num contexto de desemprego também elevado.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

A decisão de Bruxelas de manter o país na categoria dos desequilíbrios macroeconómicos excessivos foi tomada hoje. Numa escala de 1 a 4, Portugal está no nível 3, conseguindo assim evitar um agravamento do procedimento, que poderia implicar sanções.

A Comissão reconhece que o país tomou medidas para resolver problemas no sector financeiro, no acesso ao financiamento e no mercado de trabalho, mas adianta que há ainda falhas a corrigir, nomeadamente nas questões orçamentais, e em algumas áreas do mercado laboral.

  • Comissário europeu reafirma "confiança" na capacidade do Governo
    2:51

    Orçamento do Estado 2016

    António costa não acredita que Portugal terá de adotar medidas adicionais para cumprir o Orçamento do Estado. Ontem à noite, em Bruxelas, o primeiro-ministro disse estar confiante no caminho traçado pelo Governo. As declarações do chefe do Executivo aconteceram depois de o comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, ter afirmado que as medidas adicionais que Portugal ficou de preparar são mesmo para ser implementadas. O assunto gerou alguma confusão em Bruxelas e Moscovici veio hoje "clarificar" as declarações, reafirmando "confiança" na capacidade do Governo.

  • CDS quer que o Governo revele Plano B
    0:47

    Economia

    Esta manhã, no Parlamento, o deputado João Almeida exigiu ao Governo que revele as medidas adicionais que estão a ser preparadas. O CDS pediu, também, esclarecimentos aos partidos de esquerda que apoiam o executivo de António Costa.

  • António Costa diz que não tem motivos para apresentar medidas adicionais
    1:22

    Economia

    Em Bruxelas, o primeiro-ministro garante que não tem motivos para ter que apresentar medidas adicionais. Esta noite, António Costa disse que o Governo não vai alterar o Orçamento porque nada indica que Portugal venha a falhar as metas assumidas. Sobre as recomendações da Comissão, o primeiro-ministro disse que não partilha a mesma análise.

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.