sicnot

Perfil

Economia

Exportações aumentaram 0,7% e importações 0,3% no trimestre terminado em janeiro

As exportações de bens aumentaram 0,7% e as importações 0,3% no trimestre terminado em janeiro deste ano, face a igual período do ano passado, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de estatística (INE).

Em termos de produtos, destacam-se em 2015 os "crescimentos assinaláveis" nas exportações de vestuário, nas exportações de matérias têxteis e nas exportações de têxteis-lar e outros artigos têxteis confecionados.

Em termos de produtos, destacam-se em 2015 os "crescimentos assinaláveis" nas exportações de vestuário, nas exportações de matérias têxteis e nas exportações de têxteis-lar e outros artigos têxteis confecionados.

© Rafael Marchante / Reuters

Segundo o INE, o défice da balança comercial de bens atingiu 2.478,4 milhões de euros, uma queda de 28,9 milhões de euros face ao período homólogo. A taxa de cobertura aumentou para 82,5% (mais 0,3 pontos percentuais em termos homólogos).

Já em termos das variações homólogas mensais, em janeiro de 2016 as exportações caíram 1,5%, devido ao comércio extra-União Europeia (UE), dado que as exportações intra-UE aumentaram.

As importações recuaram 1%, devido à evolução registada nas importações originárias dos países extra-UE. Excluindo os combustíveis e lubrificantes, em janeiro de 2016 as exportações desceram 0,4% e as importações aumentaram 5,6% (respetivamente mais 0,4% e mais 5,8% em dezembro de 2015).

Face ao mês anterior, as exportações aumentaram em janeiro 3%, devido à evolução do comércio intra-UE, dado que as exportações extra-UE diminuíram.

As importações decresceram 7,9%, sobretudo devido à redução registada nas importações intra-UE.

No que diz respeito ao comércio intra-UE, as exportações cresceram 5,3% no trimestre terminado em janeiro, assim como as importações 1,9%, face ao período homólogo, a que correspondeu uma taxa de cobertura de 79,6% e um défice de 2.240,7 milhões de euros.

Em termos da variação homóloga relativa a janeiro, as exportações para os países intra-UE aumentaram 4,5% (mais 0,6% no mês anterior), refletindo os acréscimos verificados na quase totalidade dos grupos de produtos, em especial nas máquinas e aparelhos.

Por sua vez, as importações cresceram 0,1% (mais 2,7% no mês anterior), sobretudo devido aos veículos e outro material de transporte.

Já face ao mês anterior, em janeiro, as exportações intra-UE cresceram 14,7%, principalmente devido à evolução dos veículos e outro material de transporte, máquinas e aparelhos e plásticos e borrachas.

As importações intra-UE diminuíram 8,1%, devido sobretudo às máquinas e aparelhos.

Quanto ao comércio extra-UE, as exportações caíram 11,1% e as importações desceram 4,8%, em termos homólogos.

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações extra-UE diminuíram 10,8% e as importações extra-UE aumentaram 21,1%.

O saldo da balança comercial extra-UE com exclusão deste tipo de bens atingiu um excedente de 533,4 milhões de euros, a que correspondeu uma taxa de cobertura de 125,6%.

Em janeiro de 2016 as exportações para os países terceiros decresceram 18,8% face a janeiro de 2015, graças à quase totalidade dos grupos de produtos, salientando-se os metais comuns, combustíveis minerais e minerais e minérios. As importações extra-UE diminuíram 4,6%, essencialmente devido aos combustíveis minerais.

Lusa

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • Sociedade de Pneumologia recomenda cuidados com calor e incêndios

    País

    A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) alertou esta quarta-feira para os riscos respiratórios decorrentes dos incêndios e temperaturas elevadas, sobretudo para quem sofre de doenças crónicas, propondo medidas preventivas e recordando o aumento de mortalidade associado ao calor.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14
  • Mulher vive sozinha numa ilha há 40 anos

    Mundo

    Zoe Lucas é a única pessoa a viver numa ilha canadiana, no norte do Atlântico. Nas últimas quatro décadas, a mulher de 67 tem partilhado a ilha Sable com cerca de 400 cavalos selvagens e 350 espécies de pássaros.