sicnot

Perfil

Economia

Portugal precisa de rigor e crescimento para corrigir desequilíbrios

O ministro da Economia disse hoje que Portugal deve manter o "rigor orçamental", mas que também é importante que a correção dos desequilíbrios do país se faça com crescimento económico, já que contribui para a resolução desses problemas.

ANDR\303\211 KOSTERS

"É importante o rigor orçamental, mas é importante que a correção dos desequilíbrios se faça num contexto de crescimento. É importante um 'mix' de políticas que permita uma aceleração do crescimento económico e que com isso ajude o processo de correção dos desequilíbrios em especial dos países que estão mais vulneráveis", disse Manuel Caldeira Cabral, em Lisboa, na conferência que hoje comemora os 30 anos da agência Lusa.

O governante considerou ainda, referindo-se à União Europeia, que é necessário "relançar o investimento", uma vez que - considerou - está provado que a "política monetária não chega" para estimular a economia europeia, isto depois de a semana passada o Banco Central Europeu (BCE) ter voltado a reforçar os seus estímulos monetários.

Caldeira Cabral defende que esse "arranque do investimento" seja feito "especialmente pelos Estados com maior folga", o que disse que não é o caso de Portugal, mas considerou que há outros países europeus que têm condições para ter políticas mais expansionistas para ajudar o crescimento.

O ministro aproveitou ainda a sua intervenção nesta conferência comemorativa do 30.º aniversário da Lusa para lembrar os seus tempos de jornalista, enquanto estudante universitário, e como na altura confiava nos telexes da Lusa para confirmar informação.

Destacou ainda o tema da conferência, Portugal entre o rigor e a audácia, considerando que "a aceleração do tempo é um teste muito forte ao rigor" e que a "audácia, a ousadia é algo cada vez mais importante para romper a espuma dos dias".

Lusa

  • BCE anuncia novo pacote de medidas
    2:16

    Economia

    O Banco Central Europeu surpreendeu ao anunciar um novo pacote de medidas ainda mais agressivo do que se esperava. Mario Draghi está a fazer de tudo para evitar uma deflação com efeitos nefastos para a Economia mas os resultados tardam em aparecer.

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagas as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Presidente da Câmara de Nova Iorque confirma "atentado terrorista falhado"
    0:29
  • Israel volta a bombardear posições do Hamas em Gaza

    Mundo

    O exército israelita voltou a bombardear esta segunda-feira posições do movimento Hamas na Faixa de Gaza em resposta ao lançamento de projéteis em direção a Israel pelas milícias palestinianas, informou um comunicado militar.

  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.