sicnot

Perfil

Economia

Mário Draghi apela aos dirigentes da UE para que façam reformas estruturais

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mário Draghi, apelou hoje aos dirigentes europeus que façam mais reformas estruturais, para dopar a tímida recuperação da economia na Zona Euro.

© Kai Pfaffenbach / Reuters

Draghi falava aos jornalistas depois de ter participado nos debates económicos da cimeira dos 28 chefes de Estado e governo da União Europeia, que decorre em Bruxelas hoje e sexta-feira.

"Expliquei claramente que a política monetária tinha sido a única política que suscitou o movimento de recuperação, mas que não pode resolver (o problema das) fraquezas estruturais da Zona Euro", declarou Draghi.

"Para isso, são necessárias reformas estruturais, principalmente orientadas para a subida do nível da procura, os investimentos públicos e a redução de impostos", defendeu.

As declarações de Draghi ocorrem oito dias depois de o BCE anunciar uma série de medidas para combater a muito fraca inflação e tentar relançar a economia, através de uma descida das suas três taxas diretoras e de uma expansão do seu programa de compra de dívida.

Draghi já disse que espera que as decisões do BCE "não sejam uma boa desculpa para não agir".

O presidente do BCE alertou ainda para que "a economia está a recuperar, apesar de o fazer a um ritmo mais lento (...). Mas há sempre o risco de ventos contrários, e alguns riscos começam a intensificar-se".

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.