sicnot

Perfil

Economia

Finanças criam atalho para reclamações das despesas dedutíveis em IRS

A página da Autoridade Tributária (AT) tem, desde hoje, uma ligação direta para a reclamação e posterior correção dos valores das despesas para deduções à coleta de IRS, informou o Ministério das Finanças.

A Associação de Defesa do Consumidor Deco já tinha classificado como difíceis e pouco intuitivos os procedimentos ao dispor do contribuinte para reclamar e corrigir despesas no IRS, acusando a administração pública de complicar os procedimentos para evitar reclamações.

Hoje, o Ministério das Finanças divulgou uma alteração à forma como se acede à zona de reclamação e correção de despesas no 'site' da AT, estado agora disponível, na área dedicada aos cidadãos, uma ligação direta para a área de reclamações de despesas para deduções à coleta.

Assim, os contribuintes devem, ao entrar na página inicial do Portal das Finanças na Internet clicar na área dedicada a cidadãos onde, depois, surge diretamente a ligação IRS - Reclamação de despesas para deduções à coleta.

Clicando neste link, o contribuinte deve depois selecionar o ano correspondente, neste caso 2015, e em pesquisar. As despesas surgem divididas por setor, estando disponível um espaço para o contribuinte inserir o valor reclamado e um outro para justificar essa reclamação.

Anteriormente, eram mais os procedimentos para reclamar os valores das deduções à coleta: o contribuinte devia entrar na área 'cidadãos' do portal da Autoridade Tributária, depois na área 'serviços', optar por 'entregar', na área 'Contencioso Administrativo' selecionar as despesas para dedução à coleta, preencher o formulário onde consta a hipótese das seis categorias de despesas, com o valor reclamado.

O Ministério das Finanças informou hoje também que para os contribuintes que entreguem a declaração por Internet "irá ser disponibilizado o pré preenchimento das despesas, desde que os titulares das mesmas - membros do agregado familiar - sejam devidamente autenticados com a respetiva senha pessoal".

Nesse caso, os contribuintes que pretendam reclamar "só terão que alterar os valores das despesas que consideram não estar corretos".

Lusa

  • Doze incêndios mobilizam 2.100 operacionais

    País

    Os 12 incêndios que lavram em Portugal esta manhã mobilizam mais de 2.100 operacionais, numa altura em que os fogos de Pedrógrão Grande e Góis estão dados como dominados, mas continuam a mobilizar a maioria dos meios.

  • Seleção de sub-21 precisa de vencer a Macedónia

    Desporto

    A seleção portuguesa de futebol de sub-21 precisa, hoje, de vencer a Macedónia e de marcar pelo menos quatro golos para poder sonhar ainda com a presença nas meias-finais do Europeu da categoria, que decorre na Polónia.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.