sicnot

Perfil

Economia

CGTP convoca jovens trabalhadores para manifestação a 31 de março em Lisboa

A CGTP apelou hoje à participação de "todos os jovens trabalhadores" na manifestação nacional da juventude, organizada pela Interjovem no dia 31 de março, em Lisboa, num protesto contra a precariedade laboral.

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos. (Arquivo)

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos. (Arquivo)

MIGUEL A. LOPES / Lusa

Sob o lema "Basta! Não a um futuro de Precariedade! Exigimos Estabilidade!", a CGTP espera que os jovens trabalhadores se juntem à manifestação que vai começar no Largo do Camões e que se vai dirigir à Assembleia da República, em Lisboa.

Em comunicado hoje emitido, a CGTP afirma que a precariedade no trabalho "continua a atingir proporções alarmantes" e adianta que, segundo dados do Fundo de Compensação do Trabalho, desde outubro de 2013 até agora, "mais de 80% do emprego criado foi precário", sendo que, em 2015, "um quinto desses contratos teve uma duração igual ou inferior a dois meses".

Além disso, e em média, os salários pagos a estes trabalhadores em janeiro "situaram-se nos 545 euros líquidos, um valor 30% a 40% mais baixo do que o auferido pelos trabalhadores com vínculo efetivo", refere a central sindical, acrescentando que, "ainda que os mais afetados sejam os que têm menores qualificações, os baixos salários atingem já muitos outros com qualificações elevadas, o que leva também à desvalorização das profissões e carreiras profissionais".

A CGTP estima que existam mais de um milhão de trabalhadores com vínculos precários em Portugal e alerta que se trata de um "número que está a aumentar, atingindo percentagens escandalosas entre os jovens (67,5% entre os menores de 25 anos e 33% no grupo dos 25 aos 34 anos)".

Para a CGTP, "a precariedade associada ao modelo de baixos salários implica uma resposta urgente e determinada dos trabalhadores, das famílias e da sociedade" e, por isso, defende-se que o país precisa de "um modelo de desenvolvimento de valor acrescentado que aposte na estabilidade e segurança no emprego, numa justa retribuição, na valorização das profissões, das competências, das experiências e qualificações".

A central sindical reitera que "este é o tempo de virar a página da política que acentuou as desigualdades e o empobrecimento" e de "lutar pela valorização do trabalho e dos trabalhadores".

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC