sicnot

Perfil

Economia

Governador do Banco de Portugal acumula supervisão prudencial

O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, vai ficar com o pelouro da supervisão prudencial, depois de António Varela ter renunciado ao mandato a 07 de março.

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.

© Hugo Correia / Reuters

O Diário da República publica hoje uma delegação de competências, segundo a qual o Departamento de Supervisão Prudencial vai ficar com Carlos Costa.

A deliberação especifica que a decisão foi tomada pelo conselho de administração do regulador na reunião de 14 de março.

A Lusa contactou fonte oficial do Banco de Portugal mas esta não quis fazer quaisquer comentários.

António Varela apresentou a 07 de março o pedido de renúncia ao Governo, conforme a lei prevê, segundo um comunicado do regulador bancário então divulgado, que não especifica as razões da saída.

  • "Para ele, um 'não' não foi suficiente"
    3:39
  • Isabel II e Filipe de Edimburgo celebram 70 anos de casamento
    0:44

    Mundo

    A rainha Isabel II de Inglaterra e Filipe de Edimburgo celebram hoje 70 anos de casamento. Em dia de comemoração, o Palácio de Buckingham divulgou novas fotografias do casal cuja união é a mais duradora dentro das casas reais. Isabel casou com 21 anos. Seis anos depois foi coroada rainha por ocasião da morte do pai. A rainha e o marido têm quatro filhos, entre eles o herdeiro ao trono, Carlos, oito netos e cinco bisnetos.

  • Um negócio familiar destruído pelas chamas
    8:36
  • "Diálogos" de Catarina Neves duplamente premiado no festival Muvi
    2:12