sicnot

Perfil

Economia

Isabel dos Santos e Caixabank retomam negociações em breve

Isabel dos Santos e Caixabank retomam negociações em breve

Isabel dos Santos e o Caixabank devem voltar às negociações em breve para permitir a saída da empresária do BPI, apurou a SIC. O acordo tem de ficar fechado daqui a duas semanas, caso contrário, o BPI arrisca uma multa de milhares de euros por dia.

O acordo até parecia simples: Isabel dos Santos saía do banco e em troca recebia uma compensação
e o controlo do Banco de fomento de Angola; do outro lado um "dois em um", os espanhóis do Caixabank ficavam com a posição maioritária do banco e o BPI reduzia a exposição a Angola, uma imposição do Banco Central Europeu. Mas o caminho não está a ser fácil.

O Caixabank chegou mesmo a anunciar, na semana passada, o fim das negociações. Ainda assim, Isabel dos Santos manteve-se disponível para continuar o diálogo com os catalães.

À SIC, o Presidente da Santoro, grupo que Isabel dos Santos detém em Portugal, diz que não percebe a decisão do Caixabank, já que as negociações estavam num bom caminho, mas realça que o diálogo deverá ser imediatamente retomado.

E ao que a SIC apurou é mesmo uma questão de tempo para que a empresária volte às conversações com os espanhóis.

O acordo tem de estar fechado até 10 de abril, meta imposta pelo BCE. Caso contrário, o BPI terá de pagar uma multa que pode ultrapassar os 160 mil euros por dia.

  • Marcelo defende António Costa sobre eventual mediação do BPI
    3:17

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa saiu hoje em defesa de António Costa depois de Pedro Passos Coelho ter pedido contas ao primeiro-ministro sobre a eventual mediação da venda da quota de Isabel dos Santos no BPI. O Presidente da República diz que os órgãos de soberania têm toda a legitimidade para acompanhar o setor financeiro.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.