sicnot

Perfil

Economia

Draghi satisfeito com compromisso de Portugal para cumprir regras

O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, afirmou hoje que o BCE acolhe com agrado o compromisso das autoridades portuguesas em preparar medidas adicionais para cumprir os compromissos do Pacto de Estabilidade e Crescimento.

Michael Probst

Durante a sua intervenção na reunião do Conselho de Estado, na qual participa como convidado do Presidente da República, Mario Draghi referiu que o BCE se congratula com o facto de a Comissão Europeia considerar que o Orçamento do Estado para 2016 (OE2016) "não revelava um incumprimento particularmente grave" do Pacto de Estabilidade e Crescimento.

"Acolhemos igualmente com agrado o compromisso das autoridades portuguesas em preparar medidas adicionais, destinadas a ser implementadas quando necessário para assegurar a conformidade", afirmou.

No discurso divulgado pelo BCE, Draghi referiu que persistem "desafios importantes, dado a área do euro continuar a ser negativamente afetada por um crescimento potencial reduzido e por um desemprego estrutural elevado".

Segundo Draghi, a recuperação na zona euro está atualmente a avançar a um ritmo moderado, com o apoio das medidas de política monetária adotadas pelo BCE.

"Todavia, o investimento permanece fraco, uma vez que a incerteza acrescida no que respeita à economia mundial e aos riscos geopolíticos mais abrangentes pesam sobre o sentimento dos investidores", apontou.

"A recuperação também está a ganhar terreno em Portugal", considerou Draghi, salientando que a economia portuguesa regista o mesmo ritmo de crescimento que o conjunto da zona euro e "o desemprego apresenta uma tendência claramente descendente".

Mas, para o presidente do BCE "os sinais de retoma" tanto na zona euro como em Portugal "não devem dar azo a comprazimento".

"As nossas economias apresentam ainda vulnerabilidades significativas, às quais é necessário dar rapidamente resposta", afirmou, indicando o desemprego jovem.

"Em Portugal, mesmo agora, aproximadamente um terço da população ativa jovem continua sem ter emprego", disse, sublinhando que isso "prejudica seriamente a economia".

Segundo o presidente do BCE, é preciso agir com rapidez "para evitar criar uma geração perdida".

Lembrando as medidas adotadas pelo BCE para impulsionar a inflação, com taxas de juro muito baixas e um programa alargado de compra de dívida, Draghi afirmou que o BCE "não pode criar sozinho" as condições para uma recuperação sustentável do crescimento.

Apesar de reconhecer que em muitos países da zona euro a margem orçamental para apoiar o crescimento "é atualmente limitada", o presidente do BCE referiu que se deve "redirecionar a despesa pública para o investimento, investigação e educação".

No campo das reformas, Draghi afirmou que "os esforços desenvolvidos por Portugal foram notáveis e necessários" e que há "sinais claros" de que estão a "dar fruto".

O crescimento "dinâmico" do emprego em 2014 sugere que as reformas do mercado de trabalho estão a tornar a economia mais adaptável, exemplificou.

Para Draghi, "não se justifica anular reformas anteriores. Para além de preservar o que já foi alcançado, são necessárias mais reformas no conjunto da zona euro".

"É essencial acelerar o ritmo de reforma", disse, lembrando que hoje mesmo, o Conselho de Estado vai abordar o Programa Nacional de Reformas.

Menos de um mês depois de ter tomado posse como Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa convocou para hoje a primeira reunião do Conselho de Estado, com a participação de Mario Draghi para apresentar uma exposição "sobre a situação económica e financeira europeia".

Lusa

  • Draghi admite sinais de recuperação mas critica reversão de várias reformas

    Economia

    Mario Draghi disse hoje que são visíveis sinais de recuperação em Portugal, mas o presidente do Banco Central Europeu criticou a reversão que o atual Governo de António Costa está a fazer de várias reformas levadas a cabo pelo Executivo anterior. Na intervenção que fez no Conselho de Estado, o responsável do BCE pede ainda um esforço suplementar ao atual Executivo para acelerar as reformas que ainda são necessárias em Portugal. As declarações do presidente do Banco Central Europeu foram proferidas por ocasião da reunião do Conselho de Estado, para a qual foi convidado. Draghi acrescentou também que Portugal tem ainda pela frente desafios importantes.

  • PR diz que "é bom que Draghi tenha a noção exata do que se passa em Portugal"

    País

    O Presidente da República defendeu hoje que "é bom que o Presidente do Banco central Europeu tenha a noção exata daquilo que se passa em Portugal". Marcelo Rebelo de Sousa justificou assim a presença de Mario Draghi no primeiro Conselho de Estado e defendeu a vinda do presidente do BCE pelo papel que tem o banco no quadro das instituições europeias.

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".