sicnot

Perfil

Economia

Decisões sobre défices excessivos de Espanha e Portugal só em maio

O vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, negou hoje que tenha sido concedido a Espanha mais um ano para reduzir o défice, afirmando que as decisões sobre procedimentos por défice excessivo só serão adotadas em maio.

Vice-presidente da Comissão Europeia.

Vice-presidente da Comissão Europeia.

© Francois Lenoir / Reuters (Arquivo)

Questionado durante uma conferência de imprensa em Bruxelas sobre as notícias segundo as quais Espanha vai ter mais um ano para reduzir o défice, e se tal não constituía uma medida discriminatória relativamente a Portugal, o vice-presidente responsável pelo Euro garantiu que ainda não foram tomadas decisões, dado faltarem muitos elementos para a análise do executivo comunitário sobre o cumprimento das regras do Pacto de Estabilidade e Crescimento.

Dombrovskis apontou que a Comissão só se pronunciará quando tiver em sua posse dados atualizados, designadamente "os números" atualizados e definitivos para 2015 validados pelo gabinete oficial de estatísticas da UE, o Eurostat (o que acontecerá a 21 de abril), e as previsões económicas da primavera (que serão conhecidas no início de maio), bem como os programas nacionais de reformas, assim como os programas de estabilidade (no caso dos países da zona euro), que os Estados-membros devem entregar até final do corrente mês.

"Estou a par das notícias sobre Espanha, mas deixem-me reiterar: nenhuma decisão foi tomada em relação a Espanha, Portugal ou qualquer outro Estado-membro. Tal acontecerá em maio, iremos tomar em maio com os dados atualizados", disse.

Citando fontes comunitárias e governamentais espanholas, o jornal El País noticiou hoje que Espanha terá mais um ano para reduzir o défice público.

Segundo o jornal, "a decisão ao mais alto nível não está tomada, à espera dos números definitivos e da resolução do vazio político em Madrid", onde existe um Governo em funções desde as eleições de 20 de dezembro.

Todavia, o jornal indica na sua edição 'online' que o ministro da economia, Luis de Guindos, fez um acordo para prolongar em um ano o ajuste do défice com o comissário Pierre Moscovici, no passado fim de semana em Washington, à margem da cimeira do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Bruxelas, realça o jornal, "abre a porta inclusivamente a um segundo ano" de extensão do prazo, "em função das próximas previsões de primavera", que serão conhecidas em maio e que deverão refletir a desaceleração global prevista pelo FMI.

Em troca do prolongamento do prazo de redução do défice, Bruxelas "reforçará a tutela fiscal devido a défice excessivo" e poderá mesmo "abrir expediente de sanções".

Lusa

  • Número de mortos nos incêndios sobe para 43

    País

    Os incêndios florestais que deflagraram no domingo em várias zonas do país provocaram 43 mortos, disse esta quinta-feira à Lusa a adjunta do comando nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar. Trata-se de um homem que foi encontrado esta quinta-feira.

  • Casas de Luís Filipe Vieira e Pedro Guerra foram alvo de buscas
    2:39

    Desporto

    O caso dos emails levou esta quinta-feira a Polícia Judiciária a fazer buscas no Estádio da Luz e nas casas de Luís Filipe Vieira, o comentador Pedro Guerra e Paulo Gonçalves, o assessor jurídico do clube das águias. O advogado foi constituído arguido, mas só porque um advogado para ser alvo de buscas precisa de ser arguido.

  • Vitória de Guimarães mais longe dos 16 avos da Liga Europa
    1:48
  • Quem está ao lado de Trump? Melania ou uma sósia?

    Mundo

    A especulação surgiu no Twitter: estaria Trump acompanhado de uma sósia de Melania para ocultar a ausência da mulher num evento oficial? A teoria da conspiração ganhou depois força nas redes sociais. Julgue por si mesmo.

    SIC

  • Norte-americano entrega-se após perder aposta com a polícia no Facebook

    Mundo

    Um jovem de 21 anos procurado pela polícia norte-americana entregou-se, esta segunda-feira, depois de perder uma aposta com a polícia, no Facebook. Michael Zaydel prometeu entregar-se se uma publicação sobre o seu desaparecimento chegasse às mil partilhas, na rede social. O jovem norte-americano prometeu ainda levar uma dúzia de donuts, caso os agentes da cidade de Redford conseguissem ganhar a aposta.

    SIC