sicnot

Perfil

Economia

Apple anuncia descida inédita das vendas do iPhone

A Apple anunciou esta terça-feira a primeira descida nas vendas trimestrais do seu aparelho vedeta, o iPhone, desde que foi lançado em 2007, e uma baixa inédita em 13 anos do volume de negócios.

© Stephen Lam / Reuters

Este grupo tecnológico norte-americano escoou 51,19 milhões de aparelhos no segundo trimestre do seu exercício (janeiro-março), menos 16% do que no mesmo período do ano anterior, quando vendeu 61,17 milhões.

O recuo das vendas do iPhone era esperado. O próprio diretor-geral da Apple, Tim Cook, tinha-o previsto em janeiro.

Porém, também é acompanhado por resultados financeiros dececionantes, uma vez que o lucro baixou 22%, para 10,5 mil milhões de dólares (9,3 mil milhões de euros).

O próprio volume de negócios baixou 13%, para 50,6 mil milhões de dólares, o que, salientou Charlie Bilello, analista na Pension Partners, nunca tinha ocorrido desde o primeiro trimestre de 2003.

E a situação não parece arranjar-se no trimestre em curso, o grupo prevê uma faturação entre 41 mil milhões e 43 mil milhões de dólares, abaixo dos 47 mil milhões que os analistas antecipavam até agora.

A consequência da divulgação destes resultados e destas perspetivas estava a provocar, às 22:00 de Lisboa, uma queda nas ações de 7% nas trocas eletrónicas feitas depois do fecho da praça nova-iorquina.

A diminuição das vendas do iPhone, somada ao declínio que se confirma para o iPad (menos 19% em termos anuais, para 10,25 milhões de unidades), mostra a importância da diversificação para o grupo, o que está a procurar fazer com a Apple Watch, a sua premeira categoria de produto depois do iPad, bem como pelo novo destaque dado aos serviços (Apple Pay, Apple Music). Há ainda muita especulação sobre projetos na área automóvel.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.