sicnot

Perfil

Economia

Portugal deve continuar alívio fiscal, defende Nobel da Economia

Portugal deve continuar alívio fiscal, defende Nobel da Economia

O Nobel da Economia Paul Krugman considera que a União Europeia deve aliviar os países como Portugal da pressão quanto ao cumprimento das regras orçamentais. O economista defende também que a renegociação da dívida portuguesa é um tema que por agora não deve estar em cima da mesa e que o Governo deve continuar a aliviar a carga fiscal.

"A Comissão Europeia devia ser mais tranquila. A rigidez das regras [orçamentais] não é adequada à natureza dos problemas, já que os países não estão a ser indisciplinados do ponto de vista orçamental. O problema foi provocado por um ajustamento muito difícil e pela debilidade da economia europeia", disse o economista norte-americano à margem do VI Congresso da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED).

Paul Krugman considerou que esta flexibilidade "não significa uma licença para um gasto descontrolado", e lembrou que quando os grandes países violam as regras orçamentais, isso é perdoado de uma forma ou outra.

"Devia haver também esse perdão para os países mais pequenos", sublinhou, acrescentando que "uma economia europeia eternamente deprimida não interessa a ninguém".

Só o Banco Central Europeu colheu elogios. Krugman considerou que "é o exemplo de uma instituição europeia que está a tentar fazer o sistema funcionar" e que "Draghi e companhia estão a fazer tudo o que podem", em termos de política monetária, apesar de "os deuses da economia" não estarem ao seu lado.

Krugman afirmou que há espaço para aliviar um pouco a austeridade e mostrou-se novamente favorável às políticas expansionistas.

"Os mercados financeiros não vão entrar em pânico. Um ponto no PIB não vai fazer diferença, mas pode tornar os custos mais toleráveis para as pessoas", destacou.

O economista admitiu, no entanto, que a margem de manobra do Governo português é limitada face às imposições europeias.

"O Governo português não tem grande margem de manobra para alterar o cenário macroeconómico, mas pode minimizar o impacto sobre as pessoas, aliviando a política orçamental", sugeriu.

Quanto aos riscos sobre a sustentabilidade da dívida serão mais fracos, quanto mais forte for a economia europeia, embora a situação grega mereça algumas preocupações.

"Se a economia europeia, como um todo, tropeçar, se a inflação continuar baixa para sempre e não houver um crescimento forte, não só Portugal, mas todos os países do sul da Europa vão ter uma situação de dívida insustentável, mas acredito que isso não vai acontecer", declarou, de forma otimista.

Com Lusa

  • "A Assembleia tem tudo para correr mal"
    5:09
  • "Até ao dia 23 muitas coisas boas e más vão acontecer"
    2:24
  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30