sicnot

Perfil

Economia

Cristas desafia Costa para revisão semanal do imposto sobre combustíveis

A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, desafiou hoje o primeiro-ministro, António Costa, a rever o imposto sobre os combustíveis semanalmente, considerando "inadmissível" a baixa em um cêntimo, mas o chefe de Governo reiterou que o compromisso feito foi de uma revisão trimestral.

TIAGO PETINGA/LUSA

VEJA AQUI O DEBATE EM DIRETO

"Nestes três meses os portugueses pagaram muito acima do que já lhes tinha sido imposto pelo aumento dos seis cêntimos. Justo seria devolver essa diferença, admito que seja muito difícil, mas pergunto-lhe: está disponível ao menos para rever o valor do imposto semanalmente, em linha com a informação semanal da Entidade Reguladora do Mercado de Combustiveis?", questionou Assunção Cristas na abertura do debate quinzenal com o Governo no parlamento.

António Costa respondeu afirmando que ninguém acreditou que o Governo descesse o imposto sobre os combustíveis "porque nunca ninguém baixou esse imposto" e sublinhou que a variação entre janeiro e abril foi uma redução de quatro cêntimos e o imposto foi reduzido de acordo com a compensação de receita do IVA, como tinha sido estabelecido.

No mesmo sentido, o primeiro-ministro frisou que aquilo que tinha sido o compromisso do Governo era uma revisão trimestral, recusando o desafio da líder centrista de uma revisão semanal.

Cristas argumentou que quando os preços de referência dos combustíveis subiram 10% desde o início do ano o Governo baixou o imposto em 0,8%.

"É inadmissível, tal como é inadmissível esperar três meses por um ajustamento", declarou.

Com Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.