sicnot

Perfil

Economia

Trabalhadores do Metro recusam horas extraordinárias para eventos como o Rock in Rio

Os maquinistas do Metropolitano de Lisboa recusam cumprir horas extraordinárias para assegurar o transporte de passageiros para eventos como o Rock in Rio se se mantiverem as atuais condições laborais, disse hoje à Lusa uma fonte sindical.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

"Mantendo-se as condições atuais, os trabalhadores não estão disponíveis para participar no transporte de pessoas para eventos que se perspetivam como o Rock in Rio e as Festas da Cidade", afirmou Paulo Machado da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans).

Segundo o sindicalista, naqueles dias é esperado um aumento do número de passageiros, pelo que, para assegurar o transporte de todos, tem de se aumentar a frequência da passagem de comboios, bem como o número de trabalhadores.

"Isso é outra coisa que não percebemos: estamos com défice de recursos humanos e com um espaçamento enorme entre comboios, mas para participar em eventos daqueles já há condições", frisou.

Na origem da contestação dos maquinistas estão a organização dos tempos de trabalho, a marcação dos períodos de férias dos maquinistas e a admissão de novos trabalhadores, entre outros.

A posição foi definida no decorrer de um plenário que decorreu hoje de manhã nas instalações do Metropolitano de Lisboa e surge numa altura em que a transportadora tem a decorrer uma campanha para o Rock in Rio que tem por mote "Eu vou e volto com os Transportes de Lisboa".

A Lusa contactou o Metropolitano de Lisboa, mas ainda não obteve um comentário.

O Rock in Rio realiza-se nos dias 19, 20, 27, 28 e 29 no Parque da Bela Vista. Hoje, a organização referiu que o metro vai funcionar nos horários normais, mas com um reforço do serviço.

As Festas da Cidade decorrem em várias zonas da capital durante todo o mês de junho.

Lusa

  • Sessão solene no Parlamento e desfile popular nas celebrações do 25 de Abril

    País

    Os 43 anos da Revolução dos Cravos são hoje comemorados com a sessão solene no Parlamento e o tradicional desfile popular, tendo o Presidente da República escolhido o 25 de Abril para condecorar, a título póstumo, Francisco Sá Carneiro. A SIC Notícias acompanha esta manhã a sessão solene na Assembleia da República. Veja aqui em direto.

  • Desconhecem-se as causas do incêndio na fábrica da Tratolixo
    0:43

    País

    Os moradores de Trajouce, em São Domingos de Rana, não ganharam para o susto com um incêndio nas instalações da empresa de resíduos Tratolixo.O alerta foi dado por populares e trabalhadores da empresa. O vento foi o maior problema dos bombeiros no combate às chamas durante a noite. No local estiveram 133 homens, apoiados por 51 viaturas.Desconhecem-se para já as causas do incêndio. O incêndio foi circunscrito de madrugada, mas pode demorar algumas horas a ser dominado.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Duas execução no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.