sicnot

Perfil

Economia

Trabalhadores do Metro recusam horas extraordinárias para eventos como o Rock in Rio

Os maquinistas do Metropolitano de Lisboa recusam cumprir horas extraordinárias para assegurar o transporte de passageiros para eventos como o Rock in Rio se se mantiverem as atuais condições laborais, disse hoje à Lusa uma fonte sindical.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

"Mantendo-se as condições atuais, os trabalhadores não estão disponíveis para participar no transporte de pessoas para eventos que se perspetivam como o Rock in Rio e as Festas da Cidade", afirmou Paulo Machado da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans).

Segundo o sindicalista, naqueles dias é esperado um aumento do número de passageiros, pelo que, para assegurar o transporte de todos, tem de se aumentar a frequência da passagem de comboios, bem como o número de trabalhadores.

"Isso é outra coisa que não percebemos: estamos com défice de recursos humanos e com um espaçamento enorme entre comboios, mas para participar em eventos daqueles já há condições", frisou.

Na origem da contestação dos maquinistas estão a organização dos tempos de trabalho, a marcação dos períodos de férias dos maquinistas e a admissão de novos trabalhadores, entre outros.

A posição foi definida no decorrer de um plenário que decorreu hoje de manhã nas instalações do Metropolitano de Lisboa e surge numa altura em que a transportadora tem a decorrer uma campanha para o Rock in Rio que tem por mote "Eu vou e volto com os Transportes de Lisboa".

A Lusa contactou o Metropolitano de Lisboa, mas ainda não obteve um comentário.

O Rock in Rio realiza-se nos dias 19, 20, 27, 28 e 29 no Parque da Bela Vista. Hoje, a organização referiu que o metro vai funcionar nos horários normais, mas com um reforço do serviço.

As Festas da Cidade decorrem em várias zonas da capital durante todo o mês de junho.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51