sicnot

Perfil

Economia

Reposição das 35 horas semanais avança a 1 de julho

A despesa com pessoal este ano não pode ser maior do que em 2015, excepto em ministérios que tenham razão fundamentada para tal e mediante a autorização do ministro das Finanças. A notícia é avançada hoje pela TSF e pelo DN.

Esta é uma norma transitória que consta da proposta de alteração do PS ao projeto de lei inicial sobre a reposição do horário semanal de trabalho na função pública.

O regresso das 35 horas semanais avança a 1 de julho mas a nova norma pressupõe também que nos serviços em que esta mudança implique contratações de pessoal, a aplicação do novo horário pode ser feita até ao final do ano, em diálogo com os sindicatos.

Reduzir o horário é particularmente problemático nas áreas da educação, justiça e saúde, onde será necessário reforçar o pessoal. Recorde-se que o primeiro-ministro tinha dado a garantia que a reposição das 35 horas entraria em vigor já a 1 de julho. O ministro das Finanças foi mais cauteloso e deixou claro que a medida só avança se não tiver impacto no Orçamento para este ano.

  • Nobre dos Santos alerta para problemas na reposição das 35 horas em alguns Ministérios
    0:36

    Economia

    Os sindicatos da administração pública estão, durante o dia, a reunir com o Governo que vai apresentar o impacto da reposição das 35 horas semanais. A Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP) acredita que vai ser cumprida a data apontada por António Costa para a reposição das 35 horas semanais. Ainda assim, Nobre dos Santos, da FESAP, alerta o Governo para a existência de problemas em alguns Ministérios.

  • Obras no Miradouro de São de Pedro de Alcântara não foram a concurso
    2:50

    País

    As obras no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira. A intervenção foi adjudicada à construtora Teixeira Duarte sem concurso público. A autarquia justifica esta decisão com o caráter urgente da obra, argumento que não consta do relatório do Laboratório Nacional de Engenheria Civil, a que a SIC teve acesso.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.