sicnot

Perfil

Economia

Portugal coloca 1.830 M€ em dívida a juros superiores a 6 meses e inferiores a 1 ano

Portugal colocou hoje 1.830 milhões de euros em Bilhetes de Tesouro a seis meses a taxas superiores e a um ano a juros mais baixos, face aos anteriores leilões comparáveis, foi anunciado.

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Além das taxas de juro médias terem subido a seis meses e descido a um ano, nos dois leilões de hoje o montante colocado de 1.830 milhões de euros foi superior ao montante indicativo, que era entre 1.250 e 1.500 milhões de euros.

Segundo informação da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na página da Bloomberg, a entidade colocou 1.310 milhões de euros a um ano à taxa de juro média de 0,043%, inferior à de 0,050% verificada no anterior leilão comparável de 18 de março.

A procura atingiu 1.915 milhões de euros, 1,46 vezes superior ao montante colocado.

Os restantes 520 milhões de euros foram colocados em BT a seis meses a uma taxa de juro média de 0,021%, superior à de 0,009% verificada no anterior leilão comparável também de 18 de março.

O total de propostas dos investidores para este prazo cifrou-se em 995 milhões de euros, 1,91 vezes superior ao montante colocado.

Nos anteriores leilões comparáveis, realizados em 18 de março, o IGCP colocou 443 milhões de euros em BT a seis meses a uma taxa de juro média de 0,009% e 1.285 milhões de euros em BT a um ano a uma taxa de juro média de 0,050%.

Em 18 de novembro do ano passado, as taxas de juro médias dos BT a seis e 12 meses atingiram os mínimos de sempre de -0,018% e -0,006%, respetivamente.

Lusa

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.