sicnot

Perfil

Economia

Governo espanhol convencido que Comissão Europeia não vai aplicar sanções ao país

O ministro da Economia espanhol, Luis Guindos, afirmou hoje estar "convencido" de que a Comissão Europeia não vai impor "nenhum tipo de sanções a Espanha" face ao desvio do défice público em 2015.

© Eric Vidal / Reuters

A Comissão Europeia adiou, no dia 18, para o início de julho uma decisão sobre eventuais sanções a Portugal e Espanha por défice excessivo em 2015, mantendo-se Portugal sob Procedimento por Défice Excessivo (PDE).

Para Luis Guindos, que falava em conferência de imprensa, a decisão da Comissão Europeia de adiar para julho a decisão de uma eventual multa a Espanha é "perfeitamente legal", reagindo também às declarações do ministro das Finanças alemão, Wolfang Schauble, que afirmou que o governo alemão não está "contente" com a decisão.

"Estou convencido de que não haverá qualquer penalidade contra Espanha", disse, salientando que se o crescimento económico do país continuar nos 3%, Espanha vai sair do procedimento por défice excessivo em 2017.

O ministro insistiu que o caminho definido pela Comissão Europeia é o "compromisso de Espanha" e salientou que, se o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) se mantiver, é possível, "sem medidas adicionais sobre impostos ou gastos públicos", atingir a meta do défice abaixo dos 3% no próximo ano.

Lusa

  • A estreia de Centeno como líder do Eurogrupo
    1:56
  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    A Justiça espanhola pediu à Dinamarca para ativar a ordem de detenção europeia contra Carles Puigdemont, que ignorou as ameaças de detenção e decidiu deslocar-se a Copenhaga para participar numa conferência. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

    Luís Marques Mendes