sicnot

Perfil

Economia

BCE reúne-se hoje, analistas não esperam alterações à política monetária

O Banco Central Europeu (BCE) reúne-se hoje em Viena, Áustria, não sendo esperadas quaisquer alterações à política monetária da instituição, depois de o presidente ter pedido tempo para que as medidas adotadas produzam resultados.

(REUTERS/ ARQUIVO)

Na reunião de 10 de março, o BCE decidiu cortar todas as taxas de juro, passando a taxa diretora para 0%, pela primeira vez na história da instituição.

Após a última reunião de política monetária, de 21 de abril, que deixou as taxas de juro inalteradas, o presidente da instituição, Mario Draghi, defendeu que se deve dar mais tempo para que as medidas adotadas pelo BCE produzam efeitos e revelem a sua "eficácia".

De acordo com os analistas ouvidos pela agência Lusa, não são esperadas quaisquer alterações à política monetária do BCE.

Para o economista-chefe do Montepio Geral, Rui Bernardes Serra, na conferência de imprensa que se segue à reunião do BCE, "a autoridade deverá realçar a aceleração observada pelo PIB [Produto Interno Bruto] no primeiro trimestre e o facto de as subidas nos preços do petróleo nas últimas semanas terem impacto nas perspetivas para a inflação".

"Face às decisões anunciadas na reunião de março e ao normal desfasamento entre as decisões de política monetária e os seus efeitos na economia, não esperamos novidades na próxima reunião do BCE", referiu.

Em todo o caso, de acordo com Rui Bernardes Serra, a autoridade monetária deverá continuar a "deixar a porta aberta para novos estímulos, caso as condições económicas não evoluam em linha com as perspetivas do BCE".

Na mesma linha, o gestor da XTB, Eduardo Silva, referiu que a expectativa dos analistas é de que o BCE continue a monitorizar o impacto das medidas de facilitismo anunciadas em março.

"Apesar de a inflação continuar negativa, deveremos assistir a uma revisão em alta das projeções, principalmente para 2018. O 'brent' recuperou 80% desde os mínimos de janeiro e 20% desde o anúncio das medidas expansionistas, fator que alivia a pressão sobre a inflação", acrescentou.

Também o economista do Banco Carregosa Rui Bárbara considera que a reunião de hoje será feita sem grandes novidades: "É mais do mesmo. A mensagem vai continuar a ser a mesma, a economia europeia continua a crescer pouco, há o risco da entrada em deflação, tal como aconteceu no Japão. A mensagem será a mesma das últimas reuniões", disse em declarações à Lusa.

Lusa

  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Governo garante que programa de ajuda alimentar será executado em 2017
    2:56

    País

    O Governo não executou o programa europeu que, no ano passado, apoiou 400 mil portugueses e é acusado de ter desperdiçado este ano 28 milhões de euros em ajuda alimentar. O ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Vieira da Silva, garante que o programa será executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação.

  • Sol e calor teimam em ficar para o Natal
    1:50

    País

    Com o Natal à porta, o sol teima em ficar um pouco por todo o país. Até a norte as temperaturas estão altas para esta época do ano com o distrito do Porto a rondar os 18 graus.

  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47