sicnot

Perfil

Economia

Secretário de Estado diz que devoluções do IRS decorrem a um ritmo superior ao de 2015

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais admitiu hoje a existência de "problemas" na entrega das declarações do IRS, mas sublinhou que as devoluções estão a ser feitas a um ritmo superior ao do ano anterior.

Segundo Fernando Rocha Andrade, a "preocupação" do governo foi detetar "o mais rápido possível" os problemas e encontrar as soluções "para que os contribuintes afetados não fossem prejudicados".

"E não serão", assegurou o governante, que falava em Barcelos, à margem de uma conferência sobre contabilidade e fiscalidade, promovida pelo Instituto Politécnico do Cávado e Ave.

Rocha Andrade assegurou que, neste momento, há um aumento significativo de devoluções, de montante reembolsado e de declarações processadas do que no mesmo dia do ano passado.

"Isto tem sido verdade desde o princípio de maio, o ritmo das devoluções é superior ao que foi no ano anterior", frisou.

Lembrou que todos os anos há problemas, já que este é um processo que envolve mais de 5 milhões de declarações, e acrescentou que este ano se aplicam pela primeira vez "regras com alguma complexidade" para a administração.

O problema "mais significativo" registou-se logo nos primeiros dias e teve a ver com um erro do simulador "que podia ter induzido uma escolha errada entre declaração conjunta ou separada"

"O que se fez foi facultar a entrega de nova declaração, sem quaisquer custos, para que pudessem corrigir", disse o secretário de Estado.

Fernando Rocha Andrade reconheceu que o IRS "é um imposto que tem uma grande complexidade" e defendeu que se deve começar a pensar num caminho de simplificação.

Uma simplificação que, acrescentou, deve ser feita "em pequenos passos, evitando ruturas radicais que também levam a dificuldades de adaptação das famílias e da administração".

Na quarta-feira, os deputados da Comissão de Orçamento e Finanças aprovaram as audições da associação de defesa do consumidor Deco e do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais sobre os problemas sentidos pelos contribuintes na entrega das declarações de IRS.

O pedido de audição da Deco foi feito pelo PSD justificando-o com o facto de, "nas últimas semanas, terem vindo a público relatos de inúmeros constrangimentos, dificuldades e dúvidas com que os contribuintes se têm deparado este ano no processo de entrega das declarações modelo 3 do IRS", recordando mesmo os erros que aconteceram nos simuladores.

Para o PSD é importante ouvir a Deco, que tem recebido muitas queixas de cidadãos, para "recolher contributos que, eventualmente, possam ajudar a minimizar os danos".

Além da audição da Deco, os deputados aprovaram ainda a proposta do PS, feita na reunião da comissão parlamentar de quarta-feira, para a audição do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, também sobre a mesma matéria.

Lusa

  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC