sicnot

Perfil

Economia

UTAO estima défice de 3,3% do PIB no 1º trimestre

A UTAO diz que o défice terá ficado nos 3,3% do PIB no primeiro trimestre do ano. Os técnicos do Parlamento avisam para o desvio face ao objetivo anual (2,2%) que "coloca desafios" ao Governo para o resto do ano.

reuters

Pelas contas dos técnicos do Parlamento, o saldo das admnistrações publicas deverá situar-se entre os 2,6% e os 4%, o que dá a média de 3,3%

A UTAO diz que a estimativa, a concretizar-se, não coloca em causa o cumprimento do objetivo do Governo, mas complica a vida ao Executivo que terá de arranjar soluções para corrigir a trajetória orçamental.

Economia terá de crescer 0,9% por trimestre para alcançar meta do Governo

"Tendo em conta a divulgação da estimativa das contas nacionais sobre o primeiro trimestre de 2016 pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), de um crescimento em cadeia de 0,2%, verifica-se que para obter um crescimento de 1,8% do PIB em 2016 será necessário que a variação média em cadeia dos trimestres seguintes seja aproximadamente de 0,9%", estimam os técnicos especialistas da UTAO.

Na nota sobre a execução orçamental até abril, a que a agência Lusa teve hoje acesso, a UTAO admite que esta previsão é agora "mais exigente" do que na altura da realização do Orçamento do Estado e do Programa de Estabilidade.

"No âmbito destes documentos, para um crescimento do PIB de 1,8% era necessário que o crescimento médio em cadeia do PIB fosse de 0,5% e 0,6%, respetivamente. Contudo, os dados revelados situaram-se abaixo desse crescimento médio, pelo que será necessário que os trimestres seguintes cresçam a uma taxa superior (em média 0,9%) para que se mantenha o crescimento anual previsto (1,8%)", escreve a UTAO.

Os técnicos afirmam ainda que, caso a média dos crescimentos se situe nos 0,6% - como previsto nos dois documentos preparados pelo executivo liderado por António Costa, "estima-se que o crescimento anual do PIB em 2016 seja de 1,4%".

No primeiro trimestre deste ano, a economia portuguesa avançou 0,2% em cadeia e 0,9% em termos homólogos, o que significou que o ritmo de crescimento se manteve face ao trimestre anterior, mas que abrandou face ao mesmo período de 2015 (quando a economia avançou 1,7%).

A UTAO junta-se assim aos organismos internacionais e centros de estudos nacionais que duvidam das estimativas de crescimento previstas pelo Governo. Recentemente, foi a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) que se mostrou mais pessimista do que o executivo, apresentando uma estimativa de crescimento da economia portuguesa de 1,2% este ano.

Por sua vez, o Governo tem afirmado que não será necessário rever as metas.

Com Lusa

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • "O futuro da Autoeuropa não está em causa"
    0:43

    Economia

    O secretário de Estado do Trabalho apelou a que os partidos não se intrometam nas negociações entre os trabalhadores e a administração da Autoeuropa. Em entrevista à Edição da Noite da SIC Notícias, Miguel Cabrita afastou a hipótese de estar em causa o encerramento da fábrica de Palmela.