sicnot

Perfil

Economia

Presidente do Parlamento Europeu contra aplicação de sanções a Portugal

XXI congresso ps

Presidente do Parlamento Europeu contra aplicação de sanções a Portugal

O presidente do Parlamento Europeu diz-se contra a aplicações de sanções a Portugal por parte de Bruxelas. A posição de Martin Schulz foi expressa no discurso que fez esta manhã no congresso do PS em Lisboa.

"Sabem que costumo ser muito direto: sou contra as sanções a Portugal, claro e simples. Sei que o Governo português está a negociar com a Comissão e internamente no país e tenho a certeza que haverá uma solução muito construtiva", disse, defendendo que os sacrifícios que os portugueses fizeram têm de ser um elemento a incluir na análise sobre esta matéria.

Schulz, apresentado pelo presidente do PS, Carlos César, como "um amigo de Portugal", classificou o Congresso dos socialistas, que decorre até domingo em Lisboa, como "uma das mais importantes reuniões da Europa".

"O Partido Socialista governa o país e dá esperança a todos os partidos socialistas na Europa e é do que precisamos na União Europeia", defendeu o presidente do Parlamento Europeu.

Na sua intervenção, o socialista Schulz propôs uma maior solidariedade entre os países da zona euro e disse ter "uma certa compreensão" pelas pessoas que atualmente duvidam da justiça da União Europeia.

"Enfrentamos uma situação em que especuladores fazem biliões de lucros e não pagam impostos, mas quando enfrentam perdas os contribuintes têm de pagar por eles, isto não é União Europeia", disse o alemão, recolhendo muitos aplausos.

Para o presidente do Parlamento Europeu, um dos maiores objetivos da União Europeia terá de ser uma política fiscal comum e pediu maior solidariedade em temas globais como os refugiados, alterações climáticas e terrorismo.

"Estamos a criar uma crise a que chamamos de crise de migrantes, que é uma crise feita em casa, que nós criámos", disse, defendendo que se apenas cinco países -- incluindo Portugal -- estão disponíveis a receber refugiados porque 22 não os aceitam "então isto é um problema".

Schulz deu como exemplo da boa integração em Portugal uma visita que fez na sexta-feira a um jardim-de-infância perto de Lisboa, em que as crianças da escola brincavam lado a lado com as crianças refugiadas.

"Esta é a melhor forma de integração, é a resposta que precisamos no século XXI", disse.

Com Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.