sicnot

Perfil

Economia

Responsável pelas agências de viagens nos Açores quer mais fiscalização no turismo

A delegada nos Açores da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) defendeu hoje a intensificação da fiscalização, referindo a Inspeção Regional, que tem incrementado a sua atividade nos últimos três anos.

(SIC/ Arquivo)

"Está a crescer o mercado paralelo em várias vertentes do turismo e a fiscalização tem que intensificar a sua atividade para termos serviços de qualidade e as pessoas pagarem impostos como todos os outros que estão no mercado", declarou Catarina Cymbron à agência Lusa.

Catarina Cymbron afirmou que, face ao crescimento do turismo nos Açores, na sequência da liberalização parcial do transporte aéreo nas rotas de Ponta Delgada e Terceira, têm surgido alojamentos que não estão licenciados, designadamente casas e quartos.

"Espero que não se perca a autenticidade que caracteriza os Açores e que constitui um dos seus pontos mais positivos", declarou a responsável pelas agências de viagens na região.

De acordo com Catarina Cymbron, os recursos humanos existentes na área da fiscalização "são insuficientes" para fazer face ao mercado paralelo, onde também deverão estar a operar, na área dos transportes, indivíduos que não estarão licenciados para o exercício da atividade.

Catarina Cymbron admite que estes operadores são mais difíceis de identificar, daí que não possua dados concretos.

A responsável afirmou que estas atividades marginais surgem num momento em que se "assiste a uma subida da procura para os Açores" este verão, estando os hotéis com "boa capacidade" e registando-se um acréscimo, sobretudo oriundo do mercado continental.

"O crescimento este verão, que já foi preparado em 2015, tem sido notado pelos hotéis, restaurantes e operadores turísticos, a par das 'rent-a-car' [aluguer de veículos]", frisou.

Catarina Cymbron ressalvou que os Estados Unidos, Canadá e a Alemanha são os maiores países emissores de turismo para os Açores, tendo "praticamente todos os mercados subido".

A delegada nos Açores da APAVT referiu que as vendas também subiram por parte dos açorianos, que " estão a viajar mais", sendo os destinos mais escolhidos aqueles de sol e praia, como as Canárias, Cabo Verde, a par das Baleares, e alguns circuitos europeus.

A responsável disse que os açorianos "realizam também muitos cruzeiros", havendo uma melhoria em relação ao ano passado.

O Inspetor Regional do Turismo, em declarações à agência Lusa, disse que nos últimos três anos se tem intensificado a atividade, "dentro das possibilidades", face ao crescimento do setor nos Açores, designadamente nas atividades consideradas mais relevantes, que identificou como sendo o alojamento e a alguma animação turística.

Lomelino Pinheiro exemplificou que nos primeiros quatro meses de 2016 foram detetadas cerca de 10 unidades de alojamento que não se encontravam "devidamente registadas", o que corresponde a cerca de 300 camas, tendo em conta ocupação média de cada unidade.

Lusa

  • "O euro como o conhecemos é uma construção imperfeita"
    1:26

    Economia

    O primeiro-ministro diz que o euro como o conhecemos é uma construção imperfeita e que sem regras iguais para todos não é possível a reforma da moeda única. As declarações de António Costa foram feitas esta terça-feira, em Lisboa, numa conferência intitulada de "Consolidar o Euro. Promover a Convergência".

  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.

  • As propostas Chanel para a próxima estação
    1:34

    Mundo

    Um dos desfiles mais aguardados do mundo da moda aconteceu esta segunda-feira, em Paris, com as propostas da casa Chanel para a próxima estação primavera/verão. No final do desfile, e pela primeira vez em 30 anos, Karl Lagarfeld não deu nenhuma entrevista à comunicação social.