sicnot

Perfil

Economia

Governo "à procura de investidores" para juntar 400 milhões de apoio a startups

O ministro da Economia disse hoje estar "à procura de investidores" que queiram participar nos fundos de capital de risco do programa StartUp Portugal para financiar novas empresas portuguesas, num valor que poderá "atingir 460 milhões de euros".

JOS\303\211 COELHO

"O total poderá ultrapassar os 400 milhões de fundos que ficarão disponíveis para as empresas portuguesas que querem crescer, que querem investir e que estão a apostar na tecnologia", afirmou hoje Manuel Caldeira Cabral à margem da apresentação da Associação Porto Tech Hub.

O ministro quer ver reforçada a ideia de que "devem ser os investidores a escolher os projetos e a demonstrar o interesse por arriscarem o seu dinheiro", competindo ao Estado ter "fundos públicos" para "alavancar esses projetos de investimento" e cobertura relativamente "a parte de risco".

"O que estamos à procura é de investidores que tragam não só capital, mas também conhecimento, investidores que tragam experiência internacional e possam abrir às 'startups' portuguesas (...) novas oportunidades, quer em Portugal, quer no estrangeiro", assinalou.

Segundo Caldeira Cabral, "o montante que está para subscrever poderá atingir os 460 milhões, mas vai depender da forma como se vai conjugar o montante público (...) com o privado".

Os fundos de capital de risco e Business Angels "já estão disponíveis hoje para serem subscritos por investidores que queiram subscrevê-los", disse, explicando que o Estado pode entrar com 50% a 65% do montante.

O ministro adiantou já ter havido "manifestações de interesse" por parte de investidores, numa altura em que o concurso está aberto e em que estão a ser pedidos os cadernos de encargos.

Realçou ainda que estes "são fundos que terão muita importância na criação de emprego qualificado em Portugal e a dar maiores probabilidades de sucesso aos projetos que tantos jovens estão a desenvolver".

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.