sicnot

Perfil

Economia

Madeira foi apenas "recebedora" de 29,7 M€ da ADSE, diz Governo Regional

O secretário das Finanças e Administração Pública da Madeira disse hoje que a região foi apenas a "parte recebedora" dos 29,7 milhões de euros da ADSE, utilizados para pagar dívidas que detinha junto dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde.

© STR New / Reuters

"Segundo as notícias que vieram agora a público, o Tribunal de Contas considera que o pagamento que foi feito à Madeira devia ser feito não com receitas da ADSE [sistema complementar de saúde dos funcionários e aposentados do Estado], mas com receitas do Estado. A região aqui é a parte recebedora da receita", sublinhou Rui Gonçalves, em declarações à agência Lusa.

O governante referiu que "não está em causa que essa dívida existia, porque os serviços foram prestados; o que está em causa é a fonte de financiamento dessa dívida".

A este nível, declarou, "a região está totalmente à vontade porque tinha uma responsabilidade e foi cumprida".

"Não temos nenhuma questão relativamente a essa matéria", acrescentou.

O responsável explicou que no ano passado a Madeira fez parte de um grupo de trabalho com as secretarias de Estado do Orçamento e da Saúde que tinha por objetivo resolver os problemas das dívidas da região ao Serviço Regional de Saúde e deste e da ADSE ao arquipélago.

"No âmbito desse grupo de trabalho, o que resultou foi que a região recebeu uma dívida que era da região ao Serviço Regional de Saúde, de cerca de 25 milhões de euros, e que com essa receita fez parte do pagamento das dívidas que detinha junto dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde", referiu.

Num relatório de auditoria ao sistema de proteção social dos funcionários públicos, o TdC refere que, em setembro de 2015, a ADSE usou excedentes gerados em 2014 e receitas próprias de 2015 para pagar mais de 29 milhões de euros ao Serviço Regional de Saúde da Madeira que resultaram da utilização de unidades de saúde por beneficiários da ADSE entre 2010 e 2015.

O tribunal considera que dois secretários de Estado do anterior Governo, nomeadamente o Adjunto e do Orçamento, Hélder Reis, e da Saúde, Manuel Teixeira, "comprometeram dinheiros da ADSE para fazer face a uma despesa que é do Estado e que devia ter sido satisfeita pela dotação orçamental do Serviço Nacional de Saúde".

Lusa

  • ADSE pagou indevidamente 29,7 M€ à Madeira

    Economia

    O Tribunal de Contas considera que a ADSE pagou indevidamente 29,7 milhões de euros ao Serviço Regional de Saúde da Madeira quando devia ter sido usado dinheiro do Estado, com dois anteriores governantes a incorrerem em eventuais infrações financeiras.

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.