sicnot

Perfil

Economia

Estado financiou ensino privado com 4,4 mil milhões de euros nos últimos 16 anos

O Orçamento do Estado financiou o ensino básico e secundário privado com 4,4 mil milhões de euros, nos últimos dezasseis anos, segundo uma análise do economista Eugénio Rosa, hoje divulgada pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof).colégios

Analisando dados dos relatórios do Orçamento do Estado desde 2001 a 2016, o economista mostra que as transferências para o ensino privado e cooperativo andaram, por ano, entre os 240 milhões de euros e os 362 milhões de euros.

No quadro da análise de Eugénio Rosa, que a agência Lusa consultou, 2010 é o ano com maior verba transferida para o ensino básico e secundário privado e cooperativo, com um montante de 362 milhões de euros.

De 2005 a 2010, as transferências de dinheiro estatal para os privados ascenderem sempre a mais de 300 milhões de euros, sendo os anos em que aquele montante foi maior.

"Para o Estado e para os contribuintes, significa a duplicação de custos", escreve o economista, doutorado pelo Instituto Superior de Economia e Gestão e que é consultor da CGTP e da Federação dos Sindicatos da Função Pública.

Eugénio Rosa destaca ainda que, este ano, com o atual Governo, o financiamento público das escolas privadas aumentou relativamente a 2015, passando para 254 milhões de euros, em 2016, quando, no ano anterior, tinha sido de 239 milhões.

Na mesma análise, o economista recorda dados de uma auditoria realizada pelo Tribunal de Contas, em 2012, para apurar o custo por aluno no ensino básico e secundário.

Segundo esses dados, no ano letivo 2009/2010, o Estado gastou 4.522 euros por aluno no ensino privado: "Portanto, 52.887 alunos tiveram acesso a escolas privadas pagas pelo Estado".

Nas escolas públicas, no mesmo ano, o custo por aluno foi de 3.890 euros e, mesmo adicionando acréscimos de custos de pessoal, financiado através dos contratos de associação, esse custo subiria para 4.415 euros.

Lusa

  • "Cortar de repente e sem aviso prévio é uma violência"
    24:44

    Luís Marques Mendes

    Luís Marques Mendes comenta a atualidade nacional. O comentador diz que as escolas públicas e os colégios privados são duas realidades necessárias para o país. Para Luís Marques Mendes o corte feito pelo Governo e sem aviso prévio "é uma violência". Sobre as relação entre o Governo e o Presidente, Marques Mendes diz que já se nota um distanciamento entre as duas partes. O comentador falou ainda sobre as eventuais sanções que podem vir a ser impostas a Portugal. Na sua opinião o ministro das Finanças da Alemanha não tem razões para pedir sanções quando o défice português derrapa apenas duas décimas.

  • "A Fenprof é a entidade que mais tem prejudicado a escola pública "
    2:49

    Miguel Sousa Tavares

    Para o Governo a questão dos contratos de associação com os colégios privados está encerrada. Miguel Sousa Tavares diz que o caso está a tomar proporções demasiadas e que "basta olhar para a Constituição". O comentador diz ainda que a Fenprof é a entidade que mais tem prejudicado a escola pública e que é "obrigação do Estado é ter uma boa escola pública".

  • Vários mortos em avalancha em Itália

    Mundo

    Várias pessoas morreram numa avalanche que atingiu um hotel numa estação de esqui na montanha de Gran Sasso, Itália, divulgaram os média locais citando as equipas de socorro. As autoridades italianas admitem a existência de cerca de 30 mortos.

    Em desenvolvimento

  • As alterações na carta de condução que ajudam a poupar
    6:16
  • George H. W. Bush nos cuidados intensivos e mulher também hospitalizada

    Mundo

    O antigo Presidente dos Estados Unidos da América e a sua mulher estão hospitalizados em Houston, no Texas. George H. W. Bush foi admitido no sábado, devido a um problema respiratório derivado de pneumonia, enquanto Barbara Bush entrou esta quarta-feira no hospital, por sintomas de fadiga e tosse.

  • Nevão provocou corte de energia no centro dos EUA
    1:37

    Mundo

    Uma tempestade de neve no centro dos Estados Unidos da América provocou cortes no abastecimento de eletricidade, atrasos em voos e dificuldades na circulação rodoviária. Em Espanha, a descida das temperaturas levou à emissão de avisos em 30 províncias de norte a sul do país e deixou 27.700 alunos sem aulas em Valência.

  • Cadela sobrevive após engolir faca de cozinha

    Mundo

    Na Escócia, uma história de sobrevivência, no mínimo, bicuda. Uma cadela engoliu uma faca de cozinha com mais de 20 centímetros, manteve-a dentro de si durante algumas semanas mas sobreviveu, depois de ser operada de urgência..