sicnot

Perfil

Economia

Venezuela envia dados ao FMI pela primeira vez em 12 anos

O Governo da Venezuela enviou os indicadores macroeconómicos sobre o país ao Fundo Monetário Internacional (FMI) após 12 anos de silêncio, informou a imprensa venezuelana na segunda-feira.

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

Segundo o diário El Universal, citado pelo La Razón, o FMI solicitou na semana passada os números oficiais e o Governo de Nicolás Maduro aceitou fornecê-los.

Isto não acontecia desde 2004, quando o falecido Presidente Hugo Chávez mandou encerrar os escritórios do FMI na Venezuela e advogou, embora sem uma decisão firme, a saída do país da organização multilateral.

Nem o Banco Central da Venezuela nem o FMI se pronunciaram sobre a decisão do Governo venezuelano.

No início do ano, o Banco Central da Venezuela revelou que a inflação acumulada rondava os 180,9% e que o Produto Interno Bruto (PIB) se contraiu em 5,7% em 2015.

O deputado da Mesa da Unidade Democrática (oposição) e presidente da Comissão de Finanças, Alfonso Marquina, disse ao La Razón que a entrega de dados é uma reação desesperada de Maduro ao sentir-se asfixiado pela pressão interna e internacional.

"Pode ser um esforço para conseguir financiamento por essa via. A vantagem é que é um passo para acabar com a opacidade e falta de informação existente na economia da Venezuela e que faz com que estejamos no meio da incerteza", disse o deputado.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.