sicnot

Perfil

Economia

Portugal espera captar até 1.750 M€ em dívida de curto prazo

O Estado português regressa hoje ao mercado para emitir dívida a seis e a 12 meses, esperando arrecadar até 1.750 milhões de euros.

© Rafael Marchante / Reuters

De acordo com o IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública, realizam-se hoje dois leilões de Bilhetes do Tesouro, com maturidades a 20 de janeiro de 2017 e a 21 de julho de 2017, com um montante indicativo global que oscila entre os 1.500 e os 1.750 milhões de euros.

O último leilão de Bilhetes do Tesouro a 12 meses ocorreu em maio deste ano, quando foram colocados 1.310 milhões de euros a uma taxa de juro média de 0,043%.

Também em maio foi realizada a última emissão de Bilhetes do Tesouro a seis meses, tendo sido colocados no mercado 520 milhões de euros com um juro médio de 0,021%.

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.