sicnot

Perfil

Economia

Costa reclama "grande vitória" e nega medidas adicionais

ESTELA SILVA/LUSA

O primeiro-ministro diz que a decisão da Comissão Europeia de não aplicar uma multa a Portugal foi uma "grande vitória" para o país e para a Europa. António Costa recorreu ao Twitter para garantir que não há novas medidas adicionais e que as que vão ser tomadas são as previstas no Orçamento de Estado e na carta dirigida a Bruxelas.

No Twitter, o primeiro-ministro referiu também que "não há novas medidas" e que "a única novidade é a Comissão Europeia ter evoluído da exigência de défice 2,3 para 2,5".

A Comissão Europeia recomendou esta quarta-feira o cancelamento das sanções a aplicar a Portugal, adiou a decisão sobre o congelamento dos fundos estruturais e exigiu receber, a cada três meses, mais informação de Portugal.

O colégio de comissários presidido por Jean-Claude Juncker decidiu avançar com esta solução para Portugal e Espanha, depois de ter considerado, a 12 de julho, que os dois países não tomaram "medidas eficazes" para corrigir a situação de défice excessivo dentro do prazo estipulado (2015 no caso português).

Outra penalização decorrente do não encerramento do Procedimento dos Défices Excessivos (PDE) em 2015 é o congelamento automático dos fundos estruturais alocados a Portugal a partir de janeiro de 2017. No entanto, o não acesso a estes fundos pode não ter efeitos práticos, uma vez que fica dependente de um diálogo estruturado entre a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu.

Além disso, Portugal passará a enviar um relatório a Bruxelas a cada três meses com informação sobre a evolução da execução orçamental, as medidas que pretende adotar para corrigir a situação e o seu impacto orçamental. O primeiro relatório deverá ser enviado a 15 de janeiro.

António Costa está "confiante" na execução orçamental para cumprir o objetivo, sem "plano B e sem medidas imprevistas".

Com Lusa

  • Dijsselbloem "desiludido" com a aplicação de multas zero

    Economia

    O presidente do Eurogrupo lamenta a decisão da Comissão Europeia, de aplicar multas zero a Portugal e Espanha. À SIC, o porta-voz de Jeroen Dijsselbloem revelou que o presidente do Eurogrupo ficou desiludido por não haver consequências para os dois países, depois de se ter concluído que não tomaram as medidas necessárias para corrigirem os défices excessivos.

  • Bruxelas quer medidas adicionais em Portugal
    1:50

    Economia

    Bruxelas não vai aplicar multas a Portugal. Contudo, exige que sejam tomadas medidas adicionais para garantir um défice de 2,5% em 2016. O esforço adicional ronda os 450 milhões de euros. Isto, porque a Comissão Europeia calcula que, se não forem tomadas mais medidas, o défice deste ano atinja os 2,7%.

  • "Foi uma vitória para a Europa e Portugal"
    2:27

    Economia

    O Governo diz que a decisão de Bruxelas mostra que Portugal tinha razão e que vale a pena entrar no jogo das regras europeias. O Presidente da República diz que é uma vitória de Portugal, da Europa e da responsabilidade. No entanto, Marcelo Rebelo de Sousa avisa o Governo que agora é preciso cumprir objetivos.

  • Decisão final da multa a Portugal cabe ao ECOFIN
    2:26

    Economia

    Bruxelas propôs o cancelamento da multa a Portugal e a Espanha. A decisão final está agora nas mãos dos ministros das Finanças da União Europeia. Contudo, a Comissão Europeia defende que é uma proposta dentro das regras e que é compreendida pelos cidadãos europeus.

  • Opinião

    Não sei se se lembram mas ainda há pouco tempo Assunção Cristas dizia alto e bom som que o Governo não tinha feito tudo que estava ao seu alcance para evitar as sanções. E depois foi Luis Montenegro, líder parlamentar do PSD, que veio acrescentar que só por "inabilidade e incompetência do Governo" haveria sanções, e que a culpa seria do Executivo de Costa caso a multa se confirmasse. Perante a decisão agora anunciada por Bruxelas a mesma direita veio congratular-se falando em “bom senso”, mas foi esse bom senso que faltou aos partidos de Passos Coelho e Assunção Cristas. Sobretudo ao PSD.

  • Marinha e Exército dão luz verde ao Aeroporto do Montijo

    País

    De acordo com a edição deste domingo do Diário de Notícias, o Exército e a Marinha já comunicaram à Força Aérea disponibilidade para desocupar parcialmente a base aérea e o Montijo se transformar num num aeroporto complementar ao de Lisboa.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.