sicnot

Perfil

Economia

Aumento da venda de carros em Portugal desacelera para 1,9% em julho

(Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O aumento das vendas de automóveis em Portugal desacelerou para 1,9% em julho, face ao período homólogo, para 18.772 veículos, e cresceu 15,5% nos primeiros sete meses do ano, anunciou hoje a Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

"Teremos de remontar a maio de 2013 para encontrar uma variação homóloga menor do que registada no passado mês de julho", avançou a associação, em comunicado.

"Em termos acumulados, nos primeiros sete meses do ano, foram vendidos em Portugal 156.552 veículos automóveis, o que representou uma variação homóloga positiva de 15,79%", salienta.

As vendas de automóveis ligeiros de passageiros atingiram 15.638 unidades em julho, uma subida de 0,6% em termos homólogos, enquanto nos primeiros sete meses deste ano o aumento foi de 15,5% (134.263 unidades).

As vendas dos automóveis comerciais ligeiros cresceram 10,4% em julho (2.806 unidades) e 15,4% nos primeiros sete meses do ano (19.419 unidades).

O total de veículos ligeiros vendidos subiu 2,0% no mês passado (18.772 unidades), face a igual período de 2015, enquanto nos primeiros sete meses do ano o aumento foi de 15,5% (153.682 unidades).

Em termos de veículos pesados, as vendas caíram 3% em julho (328 unidades) e 25,7% nos sete primeiros meses do ano (2.840 unidades), face ao período homólogo de 2015.

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47