sicnot

Perfil

Economia

OPEP prevê subida de preço do petróleo

© Thomas Peter / Reuters

​A Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) está a prever o aumento dos preços este ano e anunciou uma reunião informal dos seus membros no XV Fórum Internacional da Energia, agendado para entre 26 e 28 de setembro.

"Antecipa-se uma maior procura do petróleo no terceiro e quarto trimestres", afirmou o ministro da Energia e da Indústria do Catar, atual líder da OPEP, Mohammad Bin Saleh Al Sada, em comunicado, acrescentando que "o mercado do ouro negro está em vias de se reequilibrar".

Os preços do crude têm registado uma melhoria sustentada desde fevereiro deste ano, alimentada por "uma quebra da produção, cortes nos fornecimentos e redução das reservas armazenadas, enquanto a procura global melhorou nesse período", segundo o presidente da OPEP.

"Al Sada declarou que a recente descida dos preços do petróleo e a volatilidade do mercado são só temporárias", ainda segundo a nota.

A OPEP garantiu ainda que continua a monitorizar os desenvolvimentos e mantém contactos com todos os estados-membros sobre formas de ajudar a reestabelecer a estabilidade e ordem no mercado petrolífero.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.