sicnot

Perfil

Economia

Worten Espanha multada em 10.000 € por vender disco com dados dos empregados

© Kim Hong-Ji / Reuters

A agência de proteção de dados espanhola (AEPD, na sigla espanhola) multou em 10.000 euros a cadeia de lojas eletrónica Worten em Espanha por ter vendido um disco que continha dados pessoais de todos os empregados da empresa.

De acordo com uma nota da Facua, entidade que representa os consumidores, o disco duro foi comprado pelo cliente como novo em 2013, pelo que ao descobrir que este tinha sido usado apresentou uma reclamação na associação dos consumidores que "destapou uma segunda fraude" ao detetar que estava cheio de dados pessoais e profissionais dos empregados da loja que a Worten tinha em Sevilha e que encerrou em 2015.

Perante os dados, a Facua apresentou uma reclamação à AEPD, na qual destacava que "a conduta da empresa" fragilizava "de forma explícita a privacidade a que se deve submeter toda a informação como a do diretório de dados de recursos humanos de qualquer empresa" e que neste caso havia uma "evidente infração" da lei.

Por sua vez, a AEPD argumentou que a "Worten não garantiu a segurança dos dados pessoais dos seus empregados, sendo consequência de uma insuficiente ou ineficaz implementação das medidas de segurança".

Por isso, a agência para a proteção de dados decidiu agora, "três anos depois da denúncia da Facua", aplicar uma multa de 10.000 euros à Worten por uma infração que considerou "grave".

A Worten é uma marca do grupo Sonae que tem uma empresa em Portugal e outra em Espanha. Ou seja, são duas sociedades diferentes, com presidentes e equipas de gestão distintos, detidas pelo mesmo grupo português.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41