sicnot

Perfil

Economia

Fitch mantém rating português no lixo, com perspetiva estável

© Brendan McDermid / Reuters

A agência de notação financeira Fitch manteve hoje a classificação de crédito de Portugal no nível BB+ (o nível mais alto de "lixo") com perspetiva estável, mas avisou que a pressão sobre o setor financeiro pode influenciar negativamente a evolução do mesmo.

Além das pressões sobre a banca, que poderão exigir maior apoio financeiro por parte do Estado, a Fitch aponta ainda outros fatores que podem ter impactos negativos sobre a classificação de crédito como as perspetivas de crescimento económico mais fraco ou se o Governo falhar na redução do rácio da dívida em relação ao PIB e em relação aos desequilíbrios externos.

Na última revisão da dívida pública portuguesa, em março, a Fitch baixou a perspetiva de positiva para estável, mas manteve o rating em BB+.

Entre os fatores que podem resultar numa evolução positiva do rating da dívida pública portuguesa, a Fitch destaca a melhoria na execução orçamental consistente com uma tendência de descida do peso da dívida e a melhoria das perspetivas de crescimento a médio prazo.

A Fitch continua a apontar riscos para a meta de 2,2% do défice em 2016, nomeadamente devido às incertezas quanto ao impacto das medidas que vão ser implementadas e o crescimento económico fraco, e prevê que o défice atinja os 2,7%, acima dos 2,5% previstos por Bruxelas.

"Apesar das potenciais pressões políticas para aliviar a consolidação no médio prazo, continuamos a prever uma redução modesta do défice em 2017-18", o que vai contribuir para reduzir a dívida pública e corresponder às metas impostas por Bruxelas, sublinha a agência de rating.

O peso da dívida pública sobre o Produto Interno Bruto (PIB) deve cair para 122% até 2020, mas existem igualmente riscos, devido à possibilidade de ser necessário injetar mais capital no banco estatal, Caixa Geral de Depósitos (CGD).

As instituições financeiras continuam a ressentir-se da falta de qualidade dos seus ativos, afetados pela exposição ao fraco crédito hipotecário e aumento dos créditos de cobrança duvidosa, sobretudo na carteira empresarial.

"Isto continua a ser um entrave à rentabilidade e coloca pressão sobre a posição de capital de algumas instituições como a CGD Esta continua a ser um empecilho para a rentabilidade e colocou pressão sobre a posição de capital de algumas instituições como a CGD. As autoridades pretendem concluir a reestruturação do sistema em meados de 2017 (incluindo a venda de Novo Banco), mas pode haver atrasos neste calendário", sublinha a Fitch.

A agência de rating salienta ainda que o crescimento económico continua a "desapontar", devido ao abrandamento do investimento e um desempenho mais fraco das exportações, e espera agora um avanço de apenas 1,2%, abaixo dos 1,6% das previsões anteriores.

A balança comercial piorou no primeiro semestre de 2016, refletindo a quebra da procura em mercados não-comunitários como Angola, mas o impacto sobre as contas externas tem sido limitado já que as receitas do turismo continuam a aumentar e as despesas com juros estão a cair.

Com Lusa

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.