sicnot

Perfil

Economia

TAP pede a passageiros que cheguem ao aeroporto de Lisboa 4 horas antes do embarque

​A TAP apelou hoje aos passageiros para chegarem com maior antecedência aos aeroportos portugueses, recomendando que, nos casos dos que têm voos a partir de Lisboa, cheguem quatro horas antes do embarque, devido à greve dos trabalhadores de segurança.

Fonte oficial da TAP disse hoje à Lusa que a companhia aérea está a alertar os passageiros com voos agendados para hoje para que se dirijam aos aeroportos com "uma antecedência superior à habitual" e que os viajantes que embarquem a partir do aeroporto de Lisboa cheguem quatro horas antes "tendo em conta o maior número de passageiros" deste aeroporto.

Em causa está a greve ao trabalho extraordinário dos trabalhadores da Prosegur e da Securitas, que asseguram o raio-x da bagagem de mão e o controlo dos passageiros e também dos trabalhadores dos aeroportos.

Esta paralisação de 24 horas foi marcada após mais de nove meses de negociações entre o sindicato e a Associação das Empresas de Segurança (AES) para a celebração de um novo contrato coletivo de trabalho.

O dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava) Fernando Henriques disse recentemente à Lusa que "os trabalhadores destas duas empresas são responsáveis pela segurança de cerca de 40 milhões de passageiros que, por ano, passam pelos aeroportos portugueses".

O sindicalista alertou que, "com as condições em que trabalham, mais tarde ou mais cedo", podem existir "problemas graves", considerando que "é altura de olhar com atenção para esta questão".

Lusa

  • Os momentos que marcaram o 7.º dia de Mundial
    1:08
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Os momentos descontraídos dos jogadores
    1:54
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49