sicnot

Perfil

Economia

TAP pede a passageiros que cheguem ao aeroporto de Lisboa 4 horas antes do embarque

​A TAP apelou hoje aos passageiros para chegarem com maior antecedência aos aeroportos portugueses, recomendando que, nos casos dos que têm voos a partir de Lisboa, cheguem quatro horas antes do embarque, devido à greve dos trabalhadores de segurança.

Fonte oficial da TAP disse hoje à Lusa que a companhia aérea está a alertar os passageiros com voos agendados para hoje para que se dirijam aos aeroportos com "uma antecedência superior à habitual" e que os viajantes que embarquem a partir do aeroporto de Lisboa cheguem quatro horas antes "tendo em conta o maior número de passageiros" deste aeroporto.

Em causa está a greve ao trabalho extraordinário dos trabalhadores da Prosegur e da Securitas, que asseguram o raio-x da bagagem de mão e o controlo dos passageiros e também dos trabalhadores dos aeroportos.

Esta paralisação de 24 horas foi marcada após mais de nove meses de negociações entre o sindicato e a Associação das Empresas de Segurança (AES) para a celebração de um novo contrato coletivo de trabalho.

O dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava) Fernando Henriques disse recentemente à Lusa que "os trabalhadores destas duas empresas são responsáveis pela segurança de cerca de 40 milhões de passageiros que, por ano, passam pelos aeroportos portugueses".

O sindicalista alertou que, "com as condições em que trabalham, mais tarde ou mais cedo", podem existir "problemas graves", considerando que "é altura de olhar com atenção para esta questão".

Lusa

  • 10 feridos ligeiros em naufrágio de embarcação em Cascais

    País

    A embarcação de recreio com 10 pessoas a bordo naufragou ao largo da Parede, na linha de Cascais. Todos os tripulantes foram já resgatados pelas autoridades marítimas e bombeiros e apresentam escoriações ligeiras e sinais de hipotermia.

    Em atualização

  • A morte anunciada da ETA

    Mundo

    A organização separatista basca ETA vai anunciar a sua dissolução em 05 de maio, durante uma cerimónia marcada para Bayona, no País Basco francês, disseram à agência Efe fontes conhecedoras do processo.