sicnot

Perfil

Economia

Militares controlaram venda em sucursal de rede de supermercados de portugueses na Venezuela

A Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militar), tomou na quarta-feira o controlo da venda de produtos básicos na sucursal de Carrizal, da rede de supermercados Central Madeirense, propriedade de portugueses radicados na Venezuela, denunciaram vários clientes do estabelecimento.

"Somos uma comunidade organizada que já tínhamos estabelecido as filas (para comprar), formadas por habitantes do setor, pessoas da terceira idade e visitantes. Os funcionários da GNB chegaram e de maneira grosseira pediram-nos que nos retirássemos", disse aos jornalistas o representante do Conselho Comunal Colinas de Carrizal (sul de Caracas).

Daniel Flores explicou que os militares insistiram que eles se encarregavam do processo, e que, de maneira arbitrária, eliminaram as filas de seis horas e "tomaram o controlo" da venda da Central Madeirense.

Vários clientes do supermercado queixaram-se que quando os militares organizam as filas, predominam "interesses particulares" que recebem "bilhetes de identidade e dinheiro" de revendedores ilegais para lhes permitirem que passem a comprar alimentos que estão escassos no mercado venezuelano.

"Muitos moradores (estão) muito tempo sem poderem comprar nesse estabelecimento, porque existe uma enorme corrupção dos uniformizados, por isso pedimos às autoridades locais que permitam que o Conselho Comunal fiscalize as filas para que (...) todos possamos adquirir os produtos, equitativamente", disse Daniel Flores.

Em resposta à ação da GNB, os clientes iniciaram um protesto que impediu temporariamente a circulação de viaturas nas proximidades do supermercado.

Na Venezuela são frequentes as filas de pessoas junto a supermercados à espera para comprar produtos básicos que escasseiam no mercado local e que muitas vezes são vendidos sem chegarem a ser colocados nas prateleiras.

Apesar de estarem proibidas, as filas começam desde a madrugada e são supervisionadas por representantes dos conselhos comunais, algumas vezes por militantes do Partido Socialista Unido da Venezuela, enquanto a GNB cuida da segurança dos cidadãos e da mercadoria.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.