sicnot

Perfil

Economia

Militares controlaram venda em sucursal de rede de supermercados de portugueses na Venezuela

A Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militar), tomou na quarta-feira o controlo da venda de produtos básicos na sucursal de Carrizal, da rede de supermercados Central Madeirense, propriedade de portugueses radicados na Venezuela, denunciaram vários clientes do estabelecimento.

"Somos uma comunidade organizada que já tínhamos estabelecido as filas (para comprar), formadas por habitantes do setor, pessoas da terceira idade e visitantes. Os funcionários da GNB chegaram e de maneira grosseira pediram-nos que nos retirássemos", disse aos jornalistas o representante do Conselho Comunal Colinas de Carrizal (sul de Caracas).

Daniel Flores explicou que os militares insistiram que eles se encarregavam do processo, e que, de maneira arbitrária, eliminaram as filas de seis horas e "tomaram o controlo" da venda da Central Madeirense.

Vários clientes do supermercado queixaram-se que quando os militares organizam as filas, predominam "interesses particulares" que recebem "bilhetes de identidade e dinheiro" de revendedores ilegais para lhes permitirem que passem a comprar alimentos que estão escassos no mercado venezuelano.

"Muitos moradores (estão) muito tempo sem poderem comprar nesse estabelecimento, porque existe uma enorme corrupção dos uniformizados, por isso pedimos às autoridades locais que permitam que o Conselho Comunal fiscalize as filas para que (...) todos possamos adquirir os produtos, equitativamente", disse Daniel Flores.

Em resposta à ação da GNB, os clientes iniciaram um protesto que impediu temporariamente a circulação de viaturas nas proximidades do supermercado.

Na Venezuela são frequentes as filas de pessoas junto a supermercados à espera para comprar produtos básicos que escasseiam no mercado local e que muitas vezes são vendidos sem chegarem a ser colocados nas prateleiras.

Apesar de estarem proibidas, as filas começam desde a madrugada e são supervisionadas por representantes dos conselhos comunais, algumas vezes por militantes do Partido Socialista Unido da Venezuela, enquanto a GNB cuida da segurança dos cidadãos e da mercadoria.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.