sicnot

Perfil

Economia

Catarina Martins volta a defender fim de sigilo bancário para combater a fraude

A coordenadora do BE voltou a defender este sábado o fim do sigilo bancário para combater a fraude e a evasão fiscal, ressalvando que a lei do governo de acesso às contas bancárias não foi debatida com o seu partido.

Em declarações à agência Lusa, à margem das Festas da Moita, distrito de Setúbal, onde participou, Catarina Martins comentou desta forma as afirmações do primeiro-ministro que hoje saiu em defesa da polémica medida do seu executivo no sentido de aceder a contas bancárias de elevado valor, em princípio na ordem dos 50 mil euros.

"A lei, tal como o governo a pensou, não foi debatida connosco", disse, adiantando: "O BE sempre defendeu que era importante acabar com o sigilo bancário para combater a fraude e a evasão fiscal, principalmente nos valores muito avultados".

Em Portugal, prosseguiu, "as pessoas que não têm quase nada e querem recorrer a uma prestação social para acudir até aos seus filhos são obrigadas a mostrar todas as usas contas. As pessoas que têm mais, na verdade conseguem esconder tudo e não pagar impostos".

"Vivemos num país em que as mil famílias mais ricas, segundo responsáveis da própria Autoridade Tributária, não pagam impostos. Temos um problema com a fuga, a fraude e a evasão fiscal que o BE acha que deve ser combatido", afirmou.

Sobre a possibilidade de mais reformas e apoios sociais, Catarina Martins disse que o seu partido está a negociar o Orçamento de Estado para 2017 "com o objetivo de recuperar os rendimentos das pessoas que têm menos".

"Isso começa com a subida do Salário Mínimo Nacional que em janeiro terá de ser de 557 euros. O fim completo da sobretaxa no Orçamento do Estado para 2017 é também um caminho necessário. Temos de voltar a ter progressividade nos escalões do IRS e precisamos seguramente de aumentar as pensões e, para aumentar as pensões de cerca de 600 euros, é preciso cobrar a quem mais tem para pagar a quem menos tem".

Catarina Martins acredita que será possível "um entendimento" nas negociações para este orçamento.

Sobre a polémica defesa do fim dos Comandos, no seguimento da morte de dois militares, a coordenadora do Bloco lembrou que esta é uma posição "conhecida" e muito antiga".

Catarina Martins reafirmou a defesa do fim dos comandos e disse que "não é aceitável" que não se saiba o que aconteceu. "Queremos todos saber o que aconteceu", disse.

Lusa

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03

    Mundo

    António Costa defendeu uma diplomacia pela paz. O primeiro-ministro português saiu em defesa da língua portuguesa e da presença do Brasil e da Índia no Conselho de Segurança das Nações Unidas. No discurso na Assembleia Geral da ONU, Costa salientou também o compromisso do país em relação ao multilateralismo e às questões ambientais.

  • "Atrás das Câmaras" em Fátima
    2:48
  • "Só tive tempo de avisar o meu sogro e o meu marido e disse: corram!"
    2:17
  • Furacão Maria volta a ganhar força

    Mundo

    Apesar de ter perdido intensidade, após a passagem por Porto Rico, onde deixou um rasto de destruição, Maria voltou a ganhar força, é agora um furacão de categoria 3. Está a afetar a zona norte de Punta Cana, na República Dominicana com ventos que atingem os 90 km/há e move-se para o noroeste.

  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.