sicnot

Perfil

Economia

Governo diz que continuará a tomar medidas na banca face a "alguns riscos"

O Governo português disse esta segunda-feira que vai continuar a tomar medidas para fortalecer o setor financeiro, ainda sujeito a alguns riscos, e volta em comprometer-se em fechar este ano com um défice orçamental abaixo dos 3% do PIB.

"O Governo regista a conclusão da Comissão de que, mesmo após o Programa de Ajustamento, o sistema financeiro continua exposto a alguns riscos. O Governo desenvolveu e continuará a desenvolver todas as ações necessárias para fortalecer o setor, em concertação com as instituições europeias", lê-se no comunicado de imprensa enviado pelo Ministério das Finanças, depois de ter sido conhecido o relatório da Comissão Europeia sobre a quarta missão de monitorização pós-programa a Portugal, que decorreu no final de junho.

Como exemplo de medidas para reforçar o setor bancário, o Ministério das Finanças refere o processo de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos, recentemente aprovado.

O executivo liderado por António Costa diz ainda que reforçar o setor bancário, tal como capitalizar empresas, modernizar a administração pública e qualificar os trabalhadores são reformas incluídas no Programa Nacional de Reformas e que "irão fomentar a competitividade e um crescimento sustentado e inclusivo".

Neste comunicado, o Governo reafirma que continua comprometido em ter este ano um défice orçamental público "compatível com as regras europeias", ou seja, um défice abaixo dos 3% do Produto Interno Bruto (PIB), e sublinha que a Comissão Europeia recohece que até maio a execução orçamental decorria como previsto.

"Os dados mais recentes da execução orçamental, de julho, mostram que essa tendência se mantém, indicando que o défice das Administrações Públicas (AP) é 543 milhões de euros, inferior ao registado no período homólogo do ano passado, que o saldo primário das AP se situa nos 316 milhões de euros (mais 901 milhões de euros do que em 2015) e que o consumo intermédio está a diminuir 0,6% em relação ao ano passado", afirma o executivo.

Na informação à comunicação social, o Governo destaca ainda dados hoje referidos no relatório da Comissão Europeia, nomeadamente a redução do número de desempregados no segundo trimestre, com a descida da taxa de desemprego para 10,8% no segundo trimestre, menos 1,6 pontos percentuais do que a registada nos primeiros três meses do ano.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.