sicnot

Perfil

Economia

CGTP inicia semana nacional de luta pelos direitos dos trabalhadores

A CGTP inicia hoje uma semana nacional de esclarecimento, reivindicação e luta pelos direitos dos trabalhadores, que culminará com iniciativas por todo o país, no dia 01 de outubro, para assinalar o aniversário da Central.

O arranque desta semana, na qual a CGTP irá apresentar os seus cadernos reivindicativos e de ação, é assinalado hoje, pelas 13:30, junto da empresa Endutex, em Vilarinho, Santo Tirso, na presença do seu secretário-geral, Arménio Carlos.

Este primeiro dia é dedicado à reivindicação da reposição dos direitos dos trabalhadores e da melhoria das condições de vida e de trabalho.

Em Lisboa, a semana de luta começa com dois plenários de trabalhadores da Imprensa Nacional Casa da Moeda, pelas 08:30 e pelas 16:00, sendo as outras iniciativas divulgadas pela CGTP ao longo da semana.

A realização desta semana, que culmina com iniciativas por todo o país no dia 01 de outubro por ocasião do aniversário da Central, foi decidida pelo Conselho Nacional da Inter, em dia 07 de setembro, dia em que foi aprovada a proposta reivindicativa da CGTP para 2017.

Aumentos salariais de 4%, que garantam um mínimo de 40 euros a cada trabalhador, e a subida do salário mínimo nacional (SMN) para os 600 euros são reivindicações que constam da proposta da Central.

A CGTP reivindica também o aumento do Indexante de Apoios Sociais (IAS), que permanece nos 419 euros.

A valorização dos salários e o combate à pobreza e à exclusão social são os pontos fortes da proposta reivindicativa que vai servir de referência aos sindicatos da CGTP.

O Conselho Nacional da Inter aprovou hoje também o lançamento de uma petição em defesa do direito à negociação coletiva, cujas assinaturas serão entregues no parlamento em novembro.

Lusa

  • "Não partilhei SMS com ninguém"
    0:43

    Caso CGD

    António Domingues afirma que nunca revelou o conteúdo das mensagens trocadas com o ministro das Finanças sobre a entrega das declarações de património ao Tribunal Constitucional. O tema dos SMS foi abordado pelo ex-presidente da Caixa na sequência de uma pergunta do PCP sobre declarações feitas por António lobo Xavier no programa da SIC Notícias "Quadratura do Círculo".