sicnot

Perfil

Economia

Economia britânica enfrentará turbulência nas negociações do Brexit, alerta ministro

reuters

O ministro das Finanças do Reino Unido alertou hoje que a economia britânica deverá enfrentar "alguma turbulência" durante as negociações do 'Brexit' e a confiança dos consumidores e empresários poderá subir e descer "como uma montanha russa".

"Devemos esperar alguma turbulência enquanto decorrer este processo negocial", disse Philip Hammond à BBC, antes de um discurso na conferência anual do partido conservador, no poder.

O ministro antecipou um período de dois anos, "ou talvez até mais, em que as empresas manifestação incerteza em relação ao estado final das relações" entre o Reino Unido e a União Europeia.

Hammond admitiu mesmo que as empresas estão a adiar decisões de investimento devido a essa incerteza.

"Se não interviermos para contrariar esse efeito, haverá consequências para o crescimento e o emprego", disse o governante, assumindo que manter a estabilidade dos consumidores e das empresas é o seu desafio.

"Devemos esperar um período em que a confiança andará a subir e a descer - talvez como numa montanha-russa - até termos um acordo final", disse.

A primeira-ministra, Theresa May, disse no domingo que o Reino Unido irá acionar o Artigo 50 - procedimento formal para iniciar a saída da UE - até ao final de março, momento em que começará um processo negocial que deverá durar cerca de dois anos.

Hammond é visto como defensor de um 'Brexit' suave e mais gradual, que manteria o acesso do Reino Unido ao mercado único da UE, enquanto outros no governo de Theresa May defendem um corte mais definitivo.

O ministro disse que nas suas negociações com a UE, o Reino Unido deverá procurar "o maior grau de acesso dos produtos e serviços britânicos... que for possível alcançar".

"A chave é ter acesso sem imposição de taxas, acesso sem imposição de quotas", disse o responsável, acrescentando que os exportadores da UE também teriam acesso ao mercado britânico.

  • Atirador canadiano mata combatente do Daesh a 3,5km de distância

    Mundo

    Um atirador das Forças Especiais do Canadá matou um combatente do Daesh com um tiro disparado a 3,5 quilómetros de distância, no passado mês de maio, no Iraque. O Comando de Operações Especiais canadiano garantiu à BBC que a distância do disparo, realizado com sucesso, é já considerada um recorde na história militar.

  • Revelada a verdadeira identidade de Banksy?

    Cultura

    O músico e produtor Goldie pode ter revelado a identidade do artista mais conhecido por Banksy, durante uma entrevista ao podcast do rapper Scroobius Pip. Goldie referiu Robert Del Naja de forma acidental e os fãs acreditam que a identidade do artista britânico foi finalmente desvendada.

  • "Mãe, por favor, para de dizer asneiras. Não quero que leves um tiro"
    0:51

    Mundo

    O Departamento de Investigação da Polícia do Minnesota divulgou esta sexta-feira um vídeo com imagens de um incidente que levou à morte de um afro-americano pela polícia, nos Estados Unidos da América. Em julho de 2016 um polícia atingiu mortalmente Philando Castile, de 32 anos, durante uma operação de controlo rodoviário. O homem procurava os documentos de identificação quando o polícia disparou quatro tiros. Nas imagens é possível ver o desespero da filha da companheira de Philiando Castile, minutos depois de ter visto o padrasto a morrer. O agente responsável pela morte de Castile foi absolvido pelo Tribunal na semana passada.

  • Depois da "provocação", o acidente em cadeia
    0:43

    Mundo

    Um vídeo de um acidente numa autoestrada em Santa Clarita, na Califórnia (EUA), está a tornar-se viral nas redes sociais. Nas imagens é possível ver um motociclista a dar um pontapé num carro que seguia à sua frente. Como forma de "retribuição", o carro vira na direção da mota mas bate no separador e depois numa carrinha que acabou por capotar. Segundo a imprensa norte-americana o condutor da carrinha foi levado para o hospital com ferimentos ligeiros. Já a pessoa que conduzia a mota seguiu o seu caminho.