sicnot

Perfil

Economia

Nobel da Economia para Oliver Hart e Bengt Holmstrom

Oliver Hart e Bengt Holmstrom são os laureados com o Prémio Nobel da Economia 2016. A Real Academia Sueca das Ciências distinguiu, assim, os economistas britânico e finlandês, professores em universidades norte-americanas, pelos "seus contributos para a Teoria dos Contratos", que consideram "valiosos" para perceber os mesmos na vida real, bem como potenciais armadilhas na sua conceção.

"(O seu trabalho) é a base da fundação que define politicas e instituições em diversas áreas, desde a lei de insolvência às políticas constitucionais", anunciou A Real Academia Sueca das Ciências.

Oliver Hart é professor de economia na Universidade de Harvard e Bengt Holmstrom leciona economia e gestão no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

"Eu acordei por volta das 4:40 e pensei se já seria muito tarde para que o prémio me fosse atribuído este ano, mas entretanto o telefone tocou", são as declarações de Hart , publicadas no Twitter do Prémio Nobel.

"A minha primeira reação foi abraçar a minha mulher e acordar o meu filho mais velho, acrescentou Hart.

"Através dos seus contributos, Hart e Holmström, desenvolveram a Teoria dos Contratos como um campo fértil para a investigação. Nas últimas décadas, exploraram igualmente muitas das suas aplicações. A sua análise sobre a melhoria das condições contratuais estabelece as bases para a definição de políticas e instituições em várias áreas, da legislação sobre falências a constituições políticas", sublinha a organização num comunicado.

Oliver Hart nasceu em 1958 em Londres e é docente da Universidade de Harvard (Massachusstes, Estados Unidos), enquanto o finlandês Bengt Halmström, nascido em 1949 em Helsínquia dá aulas de economia e gestão no Massachusetts Institute of Technology (MIT), também nos Estados Unidos.

Os académicos vão dividir um prémio de oito milhões de coroas, o equivalente a 826 mil euros.

O prémio Nobel da Economia é o único que foi criado pelo banco central sueco em 1968. Os outros foram estabelecidos em 1895 pelo inventor e filantropo sueco Alfred Nobel.

Este foi o quinto dos seis prémios Nobel que serão atribuídos este ano.

Na semana passada, foram anunciados os prémios da Medicina, Física e Química, bem como o da Paz, que distinguiu os esforços do presidente colombiano Juan Manuel Santos para acabar com um conflito de mais de meio século com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

O último prémio, o da Literatura, vai ser anunciado na quinta-feira.

A Academia Sueca pode optar por romancistas "superstar" como o norte-americano Philip Roth ou o japonês Haruki Murakami ou por escritores menos conhecidos como o dramaturgo norueguês Jon Fosse ou o poeta sírio Adonis.

O prémio Nobel é composto por um diploma, uma medalha de ouro e um cheque no valor de oito milhões de coroas, que os laureados vão receber numa cerimónia em Estocolmo, no dia 10 de dezembro.

Com Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.